sexta-feira, 17 de dezembro de 2004

Mais uma prenda de Natal a sério

Desta vez foi o Eduardo que me surpreendeu com uma prenda que eu não vou esquecer.
É que as prendas não se oferecem para despachar. Há que escolher com cuidado. E foi o que o Eduardo fez. Obrigada, Eduardo.
A primeira página em que abri foi esta
Do coração te agradeço!

1 comentário:

Eufigénio disse...

Boa tarde Madalena,
Aqui me acerco a mando do Sr. Eufigénio Lagoa para interpretar a seu pedido o seguinte: Diz o meu procurado que tem cá vindo sim, e com viciosa frequência, e que por vezes lá deixa qualquer coisita, mas acrescenta que nem sempre se lhe permite interromper os seus post’s. Que não se acha bem em assim o fazer, com aquelas frivolidades todas que se lhe reconhece, a esbaterem-se nas coisas que por aqui vai lendo.
Adianta ainda que particularmente nos últimos tempos lhe tem sido mais difícil, que a vida não anda fácil, nem lhe tem aberto muitas janelas de vagar, muito menos do que as que gostaria. Pouco mais lhe dá que ir até lá, mudar uns cortinados, arrumar a loiça (e ultimamente bem vê, aquilo tem andado de pantanas), e pouco mais, e pouco mais.
Insiste ainda o meu cliente que lhe reitere o enorme prazer em a ter como autora e leitora das suas noites, e que se sente deveras envergonhado só com a hipótese de a estimada amiga poder pensar a inversa da considerada conta em que lhe tem.

Subscrevo-me,
Com sincera e elevada consideração

Mr. Higgins

(faço observar que utilizo a chancela do meu procurado que para o efeito ma cedeu, para a devida e formal representação)