sexta-feira, 21 de janeiro de 2005

Cem anos Dior


Em 1952, Dior impôs a altura da saia: 40 cm do chão.(O ano em que eu nasci.)
O perfume Miss Dior foi lançado em 1949. (Eu usei Miss Dior. O frasco era diferente do original, mas também tinha um lacinho de cetim.)


Dior nasceu na Normandia, a 21 de Janeiro de 1905 e morreu em Itália, a 24 de Outubro de 1957.
Para mim Dior é sobretudo o tal perfume que eu usei na adolescência e que poupei tanto, que um dia percebi que já não era perfume... Era um líquido meio alcoólico, meio coisa nenhuma.
Mesmo assim, ainda guardei o frasco por mais algum tempo.

7 comentários:

espumante disse...

Qualquer pretexto, nem que seja um "lacinho de cetim" serve para te desnudar a alma :))) É bonito ser-se assim, sobretudo quando visto por quem começa a ter uma visão longínqua dos "lacinhos de cetim" :)
beijinho pela tua sensibilidade

Madalena disse...

Já são os lacinhos de cetim da nossa saudade.
Todos escrevemos sobre nós mesmos, mesmo quando escrevemos sobre os outros.
Sabes como é com as garrafas de champagne, não sabes? É isso: explode!
Beijinho! Cheers!

Águas de Março disse...

Lembro-me de ter usado Diorling, quando ele apareceu, cheirava tão bem... mas era caríssimo, e também eu poupava, claro.. nessa altura eram os pais que pagavam tudo mas mesmo assim..
Beijinho perfumado, Madalena!

molin disse...

Ou muito me engano ou foi mesmo o senhor Dior que terá dito que uma pessoa sem perfume é a mesma coisa que andar despida.

Passando ao lado do exagero, o certo é que um aroma fica sempre na memória (pelo menos na minha fica...) e há cheiros que, simplesmente, combinam com cada um de nós.

Apesar de ainda ser novo, já percorri alguns perfumes até ter, finalmente, encontrado o que condiz mais comigo. Não divulgo, claro, mas pode dizer que o meu perfume favorito de mulher é o Chanel 5 e, logo logo de seguida (quase ex-aequo) o Amour Amour, da Cacharel!

Do Dior, vai ficar para sempre o seu "tailleur Bar", com o qual a Barbie foi vestida (obviamente muitos anos depois dele fazer sucesso), assim como para sempre vai ficar o modelito do Lagerfeld para a Chanel.

titas disse...

e não é que me esqueci do teu perfume, Molin? Caraças! Bom, tenho até 9 de Julho para descobrir...

Ele há coisas... coincidências incríveis: o Dior do lacinho foi o meu perfume preferido; hoje é o Amour Amour... só que mo roubam....

eduardo disse...

Bom dia, Madalena.
Agrada-me estar por aqui e até sinto no ar o aroma agradável dos perfumes dos teus ilustres visitantes.
Semana complicada esta que ao ritmo que todos escrevem quase não tenho tempo de "ir a todas". (rs)
De qualquer das formas, mais tarde ou mais cedo, aqui venho sempre. Nem que seja para olhar os teus laços de cetim que estão bem patentes nos textos aqui espalhados.
Como lírios e pétalas a esvoaçar, embaladas pelo vento das tuas recordações.
Saio sempre mais perfumado do que quando entrei.

Beijinho e bom fim de semana.

Anónimo disse...

Por falar em juventude, adolescência, etc., lembrei-me de um que me acompanhou numa fase muito feliz. Não era dos caros, era fresco (como convinha na terra onde eu vivia) e chamava-se Charlie, da Revlon. Já não existe mas ainda me perfuma as recordações :)
beijinho e um óptimo domingo
Cinda