terça-feira, 26 de abril de 2005

Primeiro sol

primeiro sol da manhã
Este dia nasceu assim!
Bem mais promissor do que as várias "achegas" do Público, com o título "Diz-se",onde pode ler-se:
"O passar dos anos esbate a nostalgia militante associada à Revolução dos Cravos. E ainda que se repitam os festejos e as cerimónias oficiais com os discursos do costume, o dia [25 de Abril] é cada vez mais um feriado para se gozar e muito menos uma data para comemorar."
Pedro Rolo Duarte
Diário de Notícias, 25-04-05


"A efeméride [do 25 de Abril] é celebrada com modos cada vez mais engravatados, apesar de algumas resistências que, com o tempo, se tornarão folclores de época."
Tiago Rodrigues

"Talvez ainda haja uns fogachos saudosistas, mas o implacável avançar do tempo condena o 25 de Abril a tornar-se num feriado institucional e desinfectado de quaisquer alegrias, como o 5 de Outubro."
Idem, ibidem


"Às gerações que não fizeram ou viveram o 25 de Abril, cabe agora o enorme desafio de combater o cheiro a derrota e a decadência."
Luís Osório
Idem


Um dia os cravos vão mesmo murchar, "o dia inicial, inteiro e limpo" deixará de ser lembrado por um presidente emocionado.
Não haverá mais lágrimas na voz de ninguém e talvez tudo isto faça,algum dia,sentido,também...

2 comentários:

Emilia disse...

A História o dirá Madalena.
E já o diz.
Um abraço,
Emília.

Madalena disse...

Como dizia o PR, a História fará o julgamento isento! O tempo é um factor inultrapassável. Ontem doeu-me o coração ver o Melo Antunes novo e velho e doente. As imagens não têm a lógica dos cravos!
Beijinho, Emília!