quarta-feira, 22 de junho de 2005

A Lindbergh


Lindbergh é nome de aviador e de aviadora.
Anne Morrow Lindbergh, nascida a 22 de Junho de 1906, foi a primeira mulher, nos Estados Unidos, oficialmente habilitada a pilotar um avião.
O apelido soa a História de Aviação: Charles Lindbergh. Anne e Charles Lindbergh, casaram dois anos depois da aventureira (e venturosa) travessia do Atlântico, no mítico Spirit de St Louis. Os aviões era pelos vistos uma paixão comum e os primeiros anos de casamento foram passados sobretudo a voar! Anne era a companhia completa, total e absoluta, na terra e no ar.
A ensombrar uma vida, contada talvez muito ao jeito e agrado dos públicos cor-de-rosa, há a tragédia da criança raptada, que nada nem ninguém conseguiu resgatar com vida.Nem o amor! Nem o dinheiro! Nem a fama!
Anne morreu em 2001 deixando um outro legado, para além da coragem de voar: os seus livros, os seus relatos das viagens, a sua ficção e a sua poesia.
Terá pedido que não lhe desejassem felicidade, mas sim força, coragem e sentido de humor!
Terá dito que a dor não se partilha, pois cada um carrega o seu fardo à sua maneira!

5 comentários:

Mitsou disse...

Mais uma grande mulher a que prestas merecida homenagem, querida Madalena. Vou sentir saudades de te ler, amanhã saberás porquê :) Beijinho muito grande e obrigada pela tua amizade e ternura.

Incompetente disse...

Mais uma biografia, esta com asas, marca "Madalena".
Esta era-me, mais ou menos, familiar, fruto da minha faceta de "couch potato" e de dois ou três canais do Cabo que gosto de ver.

Amanhã, novos serviços mínimos, n’est-ce pas? Hoje, foi marcar presença às nove da madrugada. Não sei como é que há gente que "funciona" antes das duas da tarde! Minha Nossa...!!!

Beijos... sonolentos!

C.S.A. disse...

Simples, formativo, informativo quanto baste, pequenas resenhas ou pérolas no feminino que nos vai deixando.
Posso dizer, M.? Posso?

espumante disse...

Só tu, com as tuas efemérides, me faria apôr este pessoalíssimo registo na tua caixa de comentários. O meu pai também nasceu a 22 de Junho, ontem, embora muito mais tarde que a Anne.
Tal como ela, era um aventureiro.
Morreu demasiado novo - 70 anos! E não deixou legado literário, mas deixou um legado muito humano e muito vivo ainda hoje nos filhos e mulher que o sobreviveram, num modelo de família, gosto pela vida e cultura que ainda hoje nos serve, a todos, de modelo.
Desculpa a lamechice... mas a culpa é tua e das tuas efemérides
Beijinho
:))

Madalena disse...

Beijinho especial para ti, Espumante! O meu pai também era de Junho. O dia dos anos deles, sem a presença física dá saudade. E a memória deles deve ser saudada. Aceita a minha hoemnagem ao teu pai também, que, pelo que tens dito, se assemelhava muito ao meu, pelo menos no ar africanista das fotos, não é?
Um beijinho para todos e obrigada pela visita!