terça-feira, 26 de julho de 2005

A Diva dos Pobres

"Lembro-me que fiquei muito triste quando descobri que, no mundo, havia gente pobre e gente rica..."
Talvez a sua compreensão do mundo tenha ficado para sempre moldada por esta conclusão da infância.
Viveu à velocidade da luz, deixando de brilhar no seu firmamento dos pobres, dos "descamisados", demasiado cedo, com apenas trinta e três anos.
Eva Peron, Evita, morreu a 26 de Julho de 1952.

Não é a luz da História a que confere mais brilho à figura de Evita. É a luz dos mitos. Ela própria preparou o mito que havia de perpetuar a sua memória e dourá-la cada vez mais.

5 comentários:

molin disse...

Vai-se tudo aos 33!
Bem lembrado, Madalena.
Embora a história dela não me convença muito, pois há quem não saiba bem se a há-de considerar uma heroína do povo ou uma autêntica vilã. Sabia ela ou não das mafiosices do marido? Confesso que tenho uma certa desconfiança de tudo o que seja mito sul-americano (excepção ao Ayrton Senna e ao Maradona). Sinceramente até duvido do próprio Simon Bolivar!

Saudades, querida Mada.

Pitucha disse...

Madalena
As tuas efemérides são fantásticas!
Sempre se aprende quando se vem até ao Chora...ou não fosses professora.
Beijos

Emilia disse...

Pois é Madalena, os dias em que estive mais arredada da leitura deste chora só a mim prejudicou.
Um abraço,
Emília.

C.S.A. disse...

Madalena, tu és um repositório de história!
E a luz dos mitos é muito interessante, eu acho.
Beijo e obrigado.

Incompetente disse...

Madalena,

Concordo com a tua abordagem ao perfil tecido nesta tua nota biográfica.
Eva Duarte (nome original) foi não só uma líder política, mas também uma actriz.
Mudando de assunto, I'm too busy for my blog. Agora, para além do extenuante trabalho nos horários, é também altura de apresentar o famoso documento de reflexão crítica (se calhar para nada!)...

Busy kisses!