quinta-feira, 13 de outubro de 2005

And the Nobel goes to

"There are no hard distinctions between what is real and what is unreal, nor between what is true and what is false. A thing is not necessarily either true or false; it can be both true and false."
Disse ele, Harold Pinter, Nobel da Literatura 2005, hoje revelado ao mundo, pela Academia Sueca.
Esta frase, destacada do seu contexto e, por alguma razão destacada, data de 1958.
Todos pensamos hoje que os mundos atravessam crises de valores. Parece-me que desta citação, sobressai precisamente uma ideia talvez premonitória daquilo que é muito evidente para nós hoje em dia: esbatem-se as fronteiras da verdade!
Li também (graças ao mail da Ana!) que ele é o guionista de um filme que confirmou o talento de Meryl Streep em personagens muito trabalhadas: A Amante do Tenente Francês.

Imagem daqui
Na mesma notícia li ainda que Harold Pinter também é actor!
So... the Nobel goes to...

3 comentários:

IO disse...

Um homem múltiplo, como lhe chamei - beijo, IO.

Laura Lara disse...

Tão pouco que sei. Nunca tinha ouvido falar nele. Há pouco, na televisão, disseram que era descendente de judeus portugueses.
Beijinhos

Flávio disse...

Sempre gostei muito do Pinter.

Há tempos, muito antes do Nobel, inclui um magnífico texto dele no meu blogue A Bomba:

www.a-bomba.blogspot.com