quinta-feira, 20 de outubro de 2005

Noite

Está a chover! Oiço, com gosto, a chuva a cair...
Presumo que sejam as goteiras dos terraços que contribuem para este ruído de fundo que acompanha o meu pensamento totalmente dominado por uma reunião de três horas e quinze minutos...
Temo que estas reuniões não sejam mais do que a tradução da expressão "chover no molhado".
São trinta anos de escola que eu sinto naufragar à mercê dos ventos da burocracia!
É um sinal dos tempos!
Podia ser tudo tão diferente!

Imagem daqui
Continua nos comentários! Obrigada!

12 comentários:

Butterfly disse...

Pois podia, mas parece-me que chego à conclusão, que,enquanto certas pessoas adorarem burocracias e perder tempo, todos nós continuaremos a lamentar.

t-shelf disse...

ai maddy este outono nostálgico que nos invade a alma envenena-nos de saudades do que nunca existiu, não é?

IO disse...

e viva a chuva, que te fez companhia, nesse deserto onde podia ser tudo tão diferente... - beijo, IO.

Laura Lara disse...

Lá poder, podia, mas não é. Com isto temos de viver.
Beijinhos

Teresa disse...

Tudo podia ser diferente, mas não é, há pessoas (ainda não sei quem, mas sei porquê)a quem interessa que o sistema funcione assim e que haja barulho e confusão. Sempre desvia a atenção para nós que somos os causadores da desgraça do país, pelo menos assim nos fazem cre. Não podes ficar assim, isso é que eles querem, temos que lutar, ser positivos e manter uma postura de esperança num futuro melhor. Se ficarmos todos deprimidos, quem toca o barco para a frente? A quem serve este sistema.
Provavelmente sou uma idealista, mas ainda não perdi a esperança!

Anónimo disse...

Arriba,arriba Madalena!
Orgulha-te do que fizeste para trás e não percas a esperança no futuro!
um grande beijinho
ana

Emilia disse...

Olá Madalena!
Que desânimo é este que aqui vim encontrar?
Diz-me duas coisas:
1. connosco é diferente, não achas?
2. e não será isso que importa afinal de contas?
Um grande abraço,
Emília.

Madalena disse...

Obrigada a todas pela "festinha no braço" virtual!
Estou mesmo desanimada e a Teresa sabe bem que isto é verdade! Sinto-me condenada, castigada, privada de uma liberdade que até este reinado desta ministra me permitiu a nossa nobre profissão. Agora vejo-me confinada ao cumprimento de um horário aberrante, esgotante e inútil. Isto tudo para ficar de plantão na escola com mais vinte escravos por cada tempo lectivo. Valem-me os tempos dedicados ao teatro pois tenho a sorte, o privilégio absoluto de ter uma Coordenadora com mais talento que muitos profissionais! O resto? Nem o meu próprio projecto me entusiasma! Foi reformulado de modo a introduzir a internet e incentivar os meninos na escrita, aproveitando o saber e a experiência da Emília com os cantinhos Netwriting e Netescrita!
Ontem, um colega, a quem eu pedi autorização para citar aqui, dizia:"A escola, por definição, é um local de educação e respeito por todos. Se esse respeito não existe a escola deixa de ser escola."
Hoje, compareci na escola para uma reunião que foi desconvocada. Compareci na convicção da realização dessa reunião. Presumo que não fosse nada necessária, pois só assim se entende que à última hora tenha sido desmarcada. Presumo que todos estivessem cientes da inutilidade dessas reuniões, pois só lá estava eu!!!
Pergunto: por que é que se insiste em reuniões que só existem para cumprir calendário e horário???
Ou sou eu que estou a ver mal!!!
Obrigada pela atenção com que vão lendo estes desabafos!

lilla mig disse...

Força, Madalena! Esperemos que tempos menos burocráticos venham... Se bem que tenho dúvidas...

Pitucha disse...

Querida Madalena

As reuniões são a praga do nosso tempo. Eu fico cheia de comichões só de pensar nelas. Como te compreendo! Ânimo que isto vai passar. Só pode...
Um grande beijo

C.S.A. disse...

Só para desejar um bom fim-de-semana.
Não «estressa», não, Madalena.
Um beijo.

eduardo disse...

Bom dia.
Ó menina!, agora fizeste lembrar-me cá dumas coisas.

Que força é essa /que força é essa /que trazes nos braços /que só te serve para obedecer /que só te manda obedecer /Que força é essa, amigo /que força é essa, amigo /que te põe de bem com outros /e de mal contigo

Então, o que é que se passa aqui?
A Arte e o Engenho, a Sabedoria e o Amor às Causas, mais a Vontade e o Sonho de estabelecer os nossos próprios padrões derrubam qualquer ministrozinho. Haja sempre presente a tua força com que o teu Pai te presenteou.

O resto sabes tu fazer, rapariga.

Quantos são? Quantos são?

Ânimo, miúda. Ou como alguém já disse, orgulha-te sempre do que fizeste. Os miúdos agradecem.
Os pais deles também.

Beijokas e boa semana.