quinta-feira, 26 de janeiro de 2006

Os versos que eu aprendi

Os nossos livros da Escola Primária estão cheios de versos simples que nós aprendíamos a declamar. A maior parte das declamações eram insípidas talvez!
(As minhas deviam ser. Lembro-me de quase ter morrido de vergonha, ao subir, uma única vez ao palco, para recitar uns versos sobre a morena que tinha pena que as mais raparigas lhe chamassem morena.)
Um dos poetas mais presentes nas páginas desses livros era Afonso Lopes Vieira, de quem se diz, na "Bíblia" da Literatura, ter sido "o mais dotado dos poetas tradicionalistas", muito adequado pelos temas e pelo gosto à literatura infantil.
Porque com versos de meninos pode falar-se de coisas importantes como a recuperação de um património afectivo e cultural, que, em todos os tempos, sofre ameaças de morte...
Por mais voltas que se dê, os intelectuais, os escritores e sobretudo os poetas são os grandes cavaleiros incumbidos dessa missão de proteger, guardar e defender esse património.
Sobre este poeta leia-se quase tudo o que resume o seu pensamento e a sua acção aqui e aqui.
Afonso Lopes Vieira nasceu a 26 de janeiro de 1878, em Leiria.

E como dizia Artur Semedo, que eu recordo com saudade, "Lá vai poema"!
Um poema de meninos, claro!

Era uma vez
um capitão português
chamado Bartolomeu
que venceu
um gigante enorme e antigo.
Bartolomeu, em menino
pequenino,
ia para o pé do mar...

e ficava a olhar
o mar...
E Bartolomeu cismava...
Ó que lindo, ó que lindo,
o mar, e a sua voz profunda e bela!
Uma nuvem no céu, era uma caravela
que novos céus andava descobrindo...

Ó que lindo, os navios,
que vão suspensos entre a água e o céu,
com velas brancas e mastros esguios,
e com bandeiras de todas as cores!
Bartolomeu cismava
porque ouvia
tudo o que o mar contava
e lhe dizia.

2 comentários:

IO disse...

Eu cá declamei estes versinhos, na escola primária:

Rio largo, rio largo,
que tens tu para me dar?
Dou-te a luz para que à noite
possas ler e estudar.

E diz-me lá, rio largo,
que mais tens para me dar?
Anda daí, meu amigo,
vem comigo ver o mar.

lol, sei lá de quem eram, e beijo!, IO.

Laura Lara disse...

Não sei se era no livro de leitura da 1.ª ou da 2ª classe que lia os versos:
"Os passarinhos, tão engraçados,
Fazem os ninhos com mil cuidados.
É para os filhinhos que estão para ter
Que os passarinhos os vão fazer ..."
e achava que no mundo nada podia ser mais lindo.
Beijinhos