sexta-feira, 10 de fevereiro de 2006

Maluda

A Maluda, nasceu em Panjim, então Nova Goa, em 1934.
No dia 10 de Fevereiro de 1999, as janelas portuguesas, os telhados de Lisboa, os quiosques e os faróis da costa tornaram -se para sempre a alma da Maluda, feita de cor e de traço, de luz e de sombra e de sensações várias.

A Associação Nacional de Municípios Portugueses, em mensagem enviada à Família de Maria de Lurdes Ribeiro, aquando do seu falecimento, prestava homenagem a essa grande artista que foi Maluda, renomada pintora nacional que ficará definitivamente ligada ao Municipalismo luso através da autoria da medalha comemorativa dos 20 Anos de Poder Local Democrático, efeméride celebrada em 1997 pela ANMP.
Renovando o seu tributo de muito respeito e profunda admiração também pelas suas excelentes qualidades artísticas, o Boletim ANMP volta a dar à estampa a face da medalha que reproduz um quadro de Maluda, uma das obras que mais apreciava, e que integrava, aliás, a sua colecção particular.

3 comentários:

Laura Lara disse...

E, não podia deixar de ser, viveu muitos anos em Lourenço Marques.
Obrigada Madalena, por recordares Maluda.
Beijinhos

Ni disse...

Bela homenagem,Madalena!
Eu adoro esses telhadinhos,quiosques e janelas.
Beijinhos e Bom fim de semana.

IO disse...

Ela como mulher avançada para a época, eu como miúda, cruzámo-nos várias vezes, pois o irmão e colega do meu pai morava na casa gémea da nossa, na Sommerschield. Gosto mesmo da sua pintura, daí a alegria do 'post'. Beijo grande, IO.