terça-feira, 7 de março de 2006

7 de Março, a Praça

apraça
A 7 de Março de 1877, chegaram os engenheiros à vila de Lourenço Marques!
Vila, desde 1876. A missão destes engenheiros era "planificar e edificar a futura cidade".
Se a memória não me atraiçoa, foi nesta Praça que eu "aprendi" a calçada portuguesa.
Era aqui que a Baixa acabava, porque começava o mar. Daqui, já se avistavam os guindastes do Cais Gorjão.
A carrinha, que me trazia do Infantário- O Jardim dos pequeninos da D. Irene- deixava-me mesmo ali, ao pé do Prédio Rubi, nas traseiras do John Orr.
Um dia, uma amiga da minha mãe veio buscar-me à carrinha, porque a minha mãe não podia. Eu sentia uma angústia muito grande quando não me vinham buscar. Ficava, de repente, sozinha no mundo. Olhava para o sítio onde devia estar alguém à minha espera e ficava aflita quando não via ninguém. No meio dessa aflição, segui à risca os conselhos, não fosse alguém querer "roubar-me" e, para sair dali, foi preciso repetir o meu nome completo.
(Querida Rosa, que saudades que eu tenho do teu carinho!)

2 comentários:

Janeca disse...

Madalena, apesar da foto ser a preto e branco e distante, impõem-se a abundância de vegetação e de espaço. E só de pensar que desta praça se poderia ver, ouvir e cheirar o mar...

IO disse...

Ainda me lembro de correr entre os canteiros. Num dos prédios em volta, nasceu a Universidade de Maputo, então Estudos Gerais. Beijo, roubei a foto!, IO.