sábado, 15 de abril de 2006

Esplendor eterno

Foi este um dos filmes da Natalie Wood que mais me marcou: Esplendor na Relva.
Vi-o em Lisboa, no Monumental, no antigo Monumental, numa daquelas sessões clássicas.
Ficou-me o filme colado ao poema de William Wordsworth, que já ouvira, na faculdade:
Though nothing can bring back the hour
Of splendor in the grass, of glory in the flower
We will grieve not, rather find
Strength in what remains behind;

Está a dar na RTP 2!

1 comentário:

Kamikaze disse...

Ó Madalena,

[…]
In the primal sympathy
Which having been must ever be,
In the soothing thoughts that spring
Out of Human suffering,
In the faith that looks through death
In years that bring philophic mind.


Brilhante, não é?

Que esta Páscoa seja um renascer das tuas esperanças e dos teus sonhos e que estes possam concretizar-se a breve trecho.

Beijos... recheados!