terça-feira, 13 de junho de 2006

Álvaro Cunhal


O homem que conduziu a vida de acordo com convicções a que se manteve fiel até à morte, a 13 de Junho de 2005.

Uma hora depois de ter tentado esboçar um tributo a um homem que é muito do meu tempo, fico a saber que a mulher de Álvaro Cunhal morreu hoje, em Lisboa, um ano certo depois, 13 de Junho de 2006. Tinha 61 anos e a notícia diz que morreu de doença prolongada.
A minha homenagem a quem soube compreender o homem que quis viver a vida tão completamente quanto ela de facto vale!!!!

5 comentários:

IC disse...

Fiquei feliz por recordares essa coerência de vida, no dia em que morre a sua companheira.
Beijinho.

Teresa Leite disse...

Talvez o único que manteve coerência entre o que pensava, o que dizia e o que fazia. Reconheço que foi, talvez, o último grande Homem (apesar de não comungar dos mesmos ideiais), mas...perante o que temos hoje...

dakidali disse...

Bolas tanta gente importante a morrer neste dia.
Beijinhos

IO disse...

Oh, Mad', isto foi, mas é, o dia do 'chora': já viste quantas efemérides?... e ainda por cima nasceu o Pessoa!, beijo grande, uma leitora assídua do teu bló.

125_azul disse...

E porque não há coincidências...