sábado, 1 de julho de 2006

Versos

Carlos de Oliveira é um nome do neo-realismo, movimento literário com figuras tão incontornáveis como: Soeiro Pereira Gomes, Alves Redol, bem como o próprio padroeiro deste "lugarejo", José Gomes Ferreira.
A sua obra mais conhecida talvez seja "Uma Abelha na Chuva" pela adaptação ao cinema, tendo-se transformado num "filme obrigatório" dos anos setenta, pelo tema e pela oportunidade dos tempos. O filme estreou-se no Estúdio 444, em Lisboa, dois anos antes da Revolução, também em Abril. É considerado um dos mais importantes trabalhos em cinema, em Portugal, antes dos Cravos.A poesia de Carlos Oliveira também existe. Tal como a Infância, provavelmente uma infância com outros sons de português, sons de Brasil, onde nasceu, em Belém do Pará, a 10 de Agosto de 1921.

Infância


Sonhos
enormes como cedros
que é preciso
trazer de longe
aos ombros
para achar
no inverno da memória
este rumor
de lume:
o teu perfume,
lenha
da melancolia.

de Cantata
Carlos de Oliveira morreu em Lisboa, há 25 anos.
A Ni enriqueceu esta simples homenagem às nossas letras, assim:
Olá Madalena!
Li atentamente o teu post sobre o Carlos de Oliveira,acrescento mais algumas informações.
Nasceu no Brasil sim,em Belém do Pará,mas com apenas 2 anos de idade a sua família regressou ao Concelho de Cantanhede(Febres) onde morava um dos seus avós e seu pai foi a partir desse ano médico municipal.
É considerado um "filho adoptivo" da Região da Gândara pois foi lá que fez a sua escolaridade (primária e secundária) tendo em Coimbra concluído a sua formação académica em Histórico-Filosóficas.
Aliás a região Gandaresa está bem referenciada em obras como "Casa da Duna","Alcateia","Pequenos Burgueses","Uma abelha na Chuva" e "Finisterra".
Como vês Madalena,a haver sotaque só pode ser Gandarês.Beijinhos.

Obrigada, Ni!

1 comentário:

Ni disse...

Olá Madalena!
Li atentamente o teu post sobre o Carlos de Oliveira,acrescento mais algumas informações.
Nasceu no Brasil sim,em Belém do Pará,mas com apenas 2 anos de idade a sua família regressou ao Concelho de Cantanhede(Febres) onde morava um dos seus avós e seu pai foi a partir desse ano médico municipal.
É considerado um "filho adoptivo" da Região da Gândara pois foi lá que fez a sua escolaridade (primária e secundária) tendo em Coimbra concluído a sua formação académica em Histórico-Filosóficas.
Aliás a região Gandaresa está bem referenciada em obras como "Casa da Duna","Alcateia","Pequenos Burgueses","Uma abelha na Chuva" e "Finisterra".
Como vês Madalena,a haver sotaque só pode ser Gandarês.Beijinhos.