segunda-feira, 25 de junho de 2007

Viva Moçambique!

Só provei o sabor das raízes, quando o longe intransponível mo deu a provar.
O tempo cozinhou uma alma que deseja em tempo inteiro o que não está, o que não é. Mas, presumo que isso seja um cozinhado normal de almas, em qualquer canto do mundo, levado a cabo por um cozinheiro de conhecimento e saber universais.
O tempero das tais raízes tem uma intensidade que ciclicamente se acentua e não se apaga nunca. Ferve! Pica. Quase dói, mas apetece!
(Não se trata de saudosismo barato, pois estou bem onde estou. Esta é a terra dos meus filhos e essa é a minha fortíssima raiz saloia.)
Mas gosto de recordar as ruas das minhas primeiras idades e sonho, um dia, repassear esses espaços, ao som de um tempo que se chama agora e, em nome do qual, estamos hoje aqui a dizer em uníssona esperança: Viva Moçambique!
LM by Luí Boléo
Fotografia do meu cunhado.

7 comentários:

Laura Lara disse...

E viva Moçambique!
Beijinhos moçambicanos

125_azul disse...

Viva também nós, moçambicanos de alma ou de facto, por aí espalhados...
Por causa de posts como o teu de sábado, ganhaste um prémio lá no 125. Parabéns!
Beijnhos, boa semana

casadaponte disse...

E viva Moçambique...quem sabe um dia, poderei também lá voltar e de uma forma tranquila voltar a pisar o mesmo chão que me fêz menina e mulher.
O teu texto está tão verdadeiro...o pensarmos naquela terra, com a certeza de nos sentirmos bem onde estamos e desejarmos tudo do melhor para quem está daquele lado.Até porque
"o mesmo estar triste e o mesmo estar contente, porque apenas nos separa um oceano, apenas nos sepra um continente"(isto é de Nuno Bermudes?!...)

casadaponte disse...

"separa" um continente

rui disse...

a minha terra. e nunca mais voltei lá. mas o bichinho não pára quieto e estará para breve o regresso.

Ni disse...

Olá Madalena!
Só agora encontrei tempo para te agradecer o comentário no Chuinga de dia 21.
E a resposta está lá.
Beijinhos e já agora viva Moçambique.

Pitucha disse...

Viva, viva!
Beijos