sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Corrente de fitas

Estas fitas também me ensinaram a vida como ela é. Sabe-me bem recordá-las e por isso fiquei feliz quando li no Chuinga que tinha sido eleita para falar das fitas da minha vida.
Obrigada, IO!
Quanto aos cineastas... é melhor irem agarrados aos filmes. Sempre dá para disfarçar a minha pouca atenção ao nome dos cineastas, sobretudo em filmes de muito antigamente.
E para que ninguém se espante de existir, a abrir a lista e é mesmo a abrir a lista, o Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore.
Life isn't like in the movies. Life... is much harder.
A partir daqui a ordem é a que a minha memória ditar.
A fita que se segue é velhinha: Goodbye Mr Chips, de Sam Wood!
I don't see how you could ever get old in a world that's always young.
E a maré dos professores parece que vai inundar esta corrente: O Clube dos Poetas Mortos,de Peter Weir. Este filme modificou certamente muitos comportamentos, tanto de pais como de professores.
We read and write poetry because we are members of the human race.
Isto dos filmes traz-me à ideia as salas de cinema, o ritual social e cultural da ida ao cinema, as "matinés" do Gil Vicente, do Scala..
Foi no Scala que eu vi, pela primeira vez, claro!, My Fair Lady, de George Cukor. Foi uma espécie de presente de passagem. Coisa pouca para hoje, coisa muita para esse tempo. Não se fazia culto de acumular recompensas. Mas a ocasião requeria alguma solenidade o filme em si pedia solenidade. E houve essa solenidade!
The difference between a lady and a flower girl is not how she behaves, but how she is treated.
Bravo, Eliza!
Finalmente um filme e um cineasta: E.T., Spielberg.
Only little kids can see him. O E.T. é o Petit Prince do Cinema, com o mesmo apelo ao uso dos olhos do coração. Há, certamente, dentro de nós, lunetas de criança, que estarão sempre à mão, para nos ajudarem a ver o que apenas as crianças conseguem ver.
Dos "loucos anos sessenta", chega-me à lembrança o cinema francês, de que nem todos gostavam. Pouca acção diziam alguns, já viciados na turbulência dos filmes americanos. Mas as opiniões contra acalmaram com "Um Homem e uma Mulher" e o célebre ba da ba da da ba da ba da em tema de fundo. Lelouch, claro!
Nos anos setenta, o "Vietnam" assolou naturalmente a literatura e o cinema.
O Regresso dos Heróis (Coming Home), de Hal Ashby é um filme simples que ensina os efeitos da guerra nas pessoas, que ensina a esperança de vencer alguns efeitos, induzindo uma reflexão que ainda hoje faz sentido. I have killed for my country, or whatever, and I don't feel good about it.
E continuando "no Vietnam" e na década de setenta, "aparece-me" o som de Hair. Foi filme, "cassete" e agora DVD.
Milos Forman.
Give me a head with hair, long beautiful hair, shining gleaming steaming flaxen waxen. Give me it down to there, hair, shoulder length or longer, here, baby, there, mamma, everywhere, daddy daddy hair! Flow it, show it, long as God can grow it, my hair!
Um filme pode tornar-se um dos filmes da nossa vida por razões muito diversas. Uma dessas razões pode chamar-se Meryl Streep. "Out of Africa" e Sidney Pollack. Passei a conhecer Karen Blixen.
In the day-time you felt that you had got high up; near to the sun, but the early mornings and evenings were limpid and restful, and the nights were cold.
(Outra razão pode chamar-se Robert Redford!)
Por fim, sem ser em último, A Passagem para a Índia, de David Lean.
My dear, life rarely gives us what we want at the moment we consider appropriate.
filmes da vida
E por fim e por último, as dez vítimas que devem alimentar esta corrente:
Pitucha, Laura, Teresa, Nini, João, Alexandre, Ti, Isabel, Eduardo e Pedro!

3 comentários:

IO disse...

Tão tu e por isso tão bonito, este post, Madalena! - um beijo, IO.

Anónimo disse...

Madalena, a tua selecção é fantástica, e o modo como a apresentas é comovedora e cristalina. bela tarde, me proporcionaste.

mguel (innersmile)

Madalena disse...

Estes são mesmo os filmes que me marcaram definitivamente. Há outros, como o Esplendor na Relva, por exemplo, e A História Interminável, Charly, Becket, Um Homem para a Eternidade, etc, etc..
Obrigada, IO. Gostei mesmo do desafio.
Miguel e Chuinguita, comentários como os vossos sabem mesmo muito bem. Bj aos dois.