sexta-feira, 28 de setembro de 2007

(...)

Não sei, meus filhos, que mundo será o vosso. Jorge de Sena
Não é só nos dias que correm que a violência faz história, embora nem toda a violência se iguale em desumanidade.
A desta notícia, por exemplo, que nem sequer é de hoje, é mais do que desumana e só volta às páginas de um jornal, porque os especialistas sabem bem a sua mais-valia.
Adoramos sofrer o mal alheio!
Como se o nosso nos não bastasse!
"Mea culpa", que até me incluo, ao empregar a primeira pessoa do plural.
Não podemos ser quiméricos e sonhar sonhos impossíveis: por mais que se procure o equilíbrio e pessoalmente todos o fazemos, eu creio, a ameaça do caos é permanente e não tem tempos nem modas. E, enquanto o mal é o dos outros, achamo-nos a salvo e permitimo-nos sofrer um bocadinho, por conta dos nossos pecados.
Só um bocadinho porque a estas crueldades ninguém se pode adaptar!
Uns enlouquecem...

2 comentários:

Luisa Hingá disse...

Porquê meu Deus?
Bom fim de semana

Laura Lara disse...

Que mundo este! É horroroso.
Bpm fim-de-semana e beijinhos