quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Efeito BB

A crónica é de hoje, do DN de hoje, e chama-se "Talvez ternura!" e está assinada por Baptista Bastos.
Ao contrário do quase habitual registo de amargura, perpassa nas palavras do escritor o desejo do bem, o anseio das coisas boas, daquelas que criam boas emoções às pessoas, as fazem felizes, as torna melhores, lhes dá (ou devolve!) a capacidade de sonhar e a possibilidade de se enternecer, que é o que acontece quando os nossos sentidos desmaiam de felicidade súbita e inexplicável.
Sinto-me às vezes ré na culpa do desaparecimento dos desejos e dos sonhos. É pena máxima viver sem sonhos. Mas, nos dias de hoje, só os loucos reclamam os seus sonhos perdidos. Os sensatos passam ao lado, equipados de realidade, imunes e ilesos. Sobrevivem e mandam no planeta. Que chatice!
Obrigada, BB, pelo assomo de ternura!

4 comentários:

mulher a dias disse...

Fazia falta que a minha patroa tivesse um bocadinho de ternura. Talvez assim 2008 pudesse ser um bom ano.

casa.da.ponte disse...

Um ano 2008 cheio de ternura.É um sentimento que sabe sempre bem...sentir e receber.
Beijinhos ternurentos!
M.Dores

125_azul disse...

Ana feliz, Madalena querida. Cheio de ternura e outras coisas boas.

IC disse...

Obrigada, Madalena, por proporcionares a leitura do artigo do BB (não tinha lido).
É como ele diz: "Pertenço a uma geração e a uma época que talvez alimentassem sonhos desmesurados" (Pertencemos)...
Mil beijinhos para ti :)