quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Lisboa à tona da luz do Tejo

Serve o presente para trazer a lume a cidade que recebe todos os anos mais olhares, vindos de longe para repousar as dúvidas no brilho do Tejo. Esta cidade é linda a valer!
Serve também para trazer não um, mas dois mestres da palavra que prestaram o seu tributo a Lisboa. Um, Cardoso Pires, que cita um outro, Fernando Assis Pacheco.
Passo eu a citar também!
"Ah, sim. "se fosse Deus parava o sol sobre Lisboa", escreveu Fernando Assis Pacheco num poema tonto de luz (a tão citada luz sempre imprevista). De acordo, mas uma cidade de caprichos como esta nunca o sol pode iluminar por igual. Tem de se lhe afeiçoar aos contornos e aos instintos desordenados, à sua placidez aqui, ao burburinho dos velhos bairros acolá, e é com esses desvelos que ele lhe dá cor singular."
Lisboa, Livro de Bordo, José Cardoso Pires, página 41.

4 comentários:

Pitucha disse...

Bonito.
Só podia, aliás. Porque a minha cidade é bonita.
Beijos

casa.da.ponte disse...

É tão bom gostarmos...das cidades, das pessoas!
Beijinhos Madalena e...já guardei a árvore de Natal. Afinal a minha árvore de todos os meus Natais, aguentou-se depois de uma alta "leviana" ao fim de 3 semanas num hospital público...79 anos já dá para morrer, não? Passou aqui em casa 4 noites terríveis, até que nos vimos forçados a levá-la para uma clínica particular, onde recuperou muito bem e hoje vai ter alta.
Beijinhos Madalena e continua a mostrar-nos as coisas que dá gosto gostar.
M.Dores

125_azul disse...

Quando o avião partia para os trópicos e sobrevoava a ponte, olhar para baixo fazia-me sentir esmagada pela beleza desta cidade...
Beijinhos, bom fim de semana.

Anónimo disse...

Ei-la, no meio das outras, a casa onde eu nasci! Vim na "barriga" da minha mãe, nasci e parti com três meses, regressei,para férias, em 68 e 73, e , no último dia de 74,voltei... deixei-a definitivamente em 86. Quase todos os anos, por altura da Páscoa,passo por lá, gosto de recordar...tiro fotos...mas, curiosamente,nunca consegui uma tão boa como esta. Parabéns ao fotógrafo! um beijinho moçambicano para a Madalena e Parabéns,também, pelos outros textos.
Alda Martins Ferreira