domingo, 24 de fevereiro de 2008

yesterday, when I was young....

Aznavour não foi exactamente o meu cantor embalador de sonhos. Quando ele era Rei e a música francesa Rainha, eu tinha a minha cabeça preenchida com o romantismo da Susaninha e achava as canções de Aznavour mais velhas do que eu. Gostava do som, mas as letras não me remetiam para a realidade dos doze anos.
Dói ouvir "La mamma".
On la réchauffe de baisers
On lui remonte ses oreillers
Elle va mourir, la mamma!

Il faut savoir fazia-me pensar e remetia-me para o desgosto, a separação, uma aparente inevitabilidade de todas as relações amorosas.
Hoje, entendo que a minha relação com a vida é uma relação amorosa e, hoje, tenho de aprender a lição:Il faut savoir, coûte que coûte, garder toute sa dignité,
Et, malgré ce qu'il nous en coute, s'en aller sans se retourner...

Agora, já ultrapassada a idade que o meu pai tinha na altura em que eu alimentava os meus sonhos com Cliff e Beatles e ele aprendia a vida com Aznavour, agora, eu compreendo as canções de Aznavour.
Yesterday, when I was young... The thousand dreams I dreamed, the splendid things I planned.....

Et mois je ne sais pas.
Pieguice domingueira, ponto final!
Aznavour tem a coragem de cantar em palco aos 83 anos. Bravo!!!!
Mais uma lição para aprender.

7 comentários:

Pepe Luigi disse...

Os momentos da Vida são como os ponteiros do relógio, têm a sua cadência em que os instantes são em tempo real. Não podemos retardar nem adiantar o seu precioso andamento.

Desejo passe um Bom Domingo.

Emilia Miranda disse...

Aznavour! Que bela voz sem voz! Madalena, continuo a gostar de ouvir esta e muitas outras. Realmente "il faut savoir" muitas coisas mas "s'en aller sans se retourner" só em algumas situações até por que, "je n'ai rien oublié"!
Um beijo,
Emília.

MCM disse...

Deixei-te um comentário nos comments da Lara.

125_azul disse...

Que lindo! Eu sempre gostei, acho que é por adorar o charme de quem fala francês. Ele e a Piaf, que não lamentava nada, também me ensinaram muito. Beijinhos e boa semana.

casa.da.ponte disse...

"Je vous parle d'un temps que les moins de vingt ans ne peuvent pas connaître"...agora seriam "les moins de quarante" ou mesmo de "cinquante"?!...
Sabes que "La bohème" foi um bocadinho responsável por uma "ligação" onde já vão "vingt et sept "...
Gostava de ter assistido ao concerto...Lisboa às vezes fica longe!....
Beijinhos Madalena
M.Dores

Carraça disse...

Olá Madalena,

Conheço muito pouco do Aznavour, no entanto como diz, é uma lição cantar num palco com essa idade!!!

Bjs da Carraça

Anónimo disse...

Eu diria que só começámos a ouvi-lo com agrado quando as letras maduras começaram a falar connosco... coisas que chegam com a idade...- uma mais mistura de mafalda & miguelito lol

beijo, Mad', IO.