domingo, 25 de julho de 2010

Do Barroso ao Facebook

A emoção de ontem ainda fervilha e é muito difícil arrumar as ideias e escrever sobre o dia, a tarde, o fim de tarde...
Por mais voltas que dê, vou sempre ter ao maravilhoso grupo de pessoas que acudiu (nas várias acepções de acudir) ao Flamingo Zé, à Nini e a mim. E isso é que é um verdadeiro sucesso. Nada mais conta.
Só mesmo a amizade. Conta tanto que até constrange. Falo por mim, claro! Mas eu não mereço tanto, penso eu. Não sei se mereço ou não. Mais uma vez, não estou a pôr em questão o valor da escrita, mas o meu próprio valor enquanto ser humano. Uma amiga da Nini disse-me ao ouvido que eu sou boa pessoa. Fiquei derretida, pois é tão raro dizerem-me isso.
Merecendo mais ou menos, a demonstração da amizade é a maior das honrarias e hoje sinto que valeu a pena chamar os amigos. Foi bem vê-los chegar com a alegria dos reencontros estampada na cara. E o reencontro não era só comigo ou com a Nini. Era um reencontro dentro dos próprios grupos. Vi que a Ruchinha gostou de rever a Cristina e a Inês. Meu Deus, há cinquenta anos vestíamos o bibe do vivo azul, levávamos reguadas da Irmã Saint Yves e repreensões da Irmã Maria Luísa. Na memória, já não doem e até fazem sorrir.
Em representação de um tempo único e inesquecível dos arrebatamentos amorosos e outras experiências aparentemente radicais, a minha irmã de coração, a Milú e a própria Nini. Há fraternidades que certamente são fruto de uma conjugação celestial ou outra mais inexplicável. Mas que existem, existem!
Mary Bi, ficas aqui encaixadinha, agarradinha às minhas memórias douradas e tão doces como a marmelada de Odivelas.
As minhas amigas avós (são tantas!!!!) levaram os rebentos netos, aos pares quando tem de ser, ou, se tal não foi possível, vinha a foto comprovativa. (A Margarida é igualzinha à Matilde. Pode ser que também goste do meu colo. Tenho de experimentar!)
Nós que vivemos o PREC, com bebés ao colo!! E são esses bebés de colo que agora chegam aqui e dão lições de Biologia, como se fosse fácil falar de flamingos...sob o olhar "abensonhado" da avó, a nossa querida Dona Antonieta.
E essa geração inteira que vem depois de nós não disse que não e foi, ou veio,"dar um beijinho" e mostrar que afinal valeu a pena termos partilhado alcofas, biberons e até vestidos de grávida, porque sempre se poupava para uma saída extra.
(Será que estou a ficar nova? É que vieram outros representantes desta geração aflita, tão aflita como o Flamingo Zé, que eu já conheci com diploma ou quase... Obigada, Sofia, Joana, Francisco, Bruno e Rui!)
"Cresci" muitos anos e mesmo quando eu pensava que já não ia arranjar novos amigos, a vida provou-me que estava redondamente enganada. Madalena e Fernando, São Tavares, Ilda e a "minha escola", onde, apesar das inúmeras dificuldades conhecidas, se cultivam relações, floresce o afecto e se faz prevalecer o verdadeiro sentido da existência: ser amigo vale a pena. Alguns são repetentes do Flamingo Zé.
E, outra vez a frase:"quando eu pensava que já não ia arranjar novos amigos, a vida provou-me que estava redondamente enganada". Eis que parto na internet à procura de quem me possa fazer companhia numa nova condição. Eis que encontro, dia após dia, à velocidade da luz, pessoas que se despem de todos os preconceitos, de todas as capas e se revelam com uma sinceridade, honestidade e transparência que o mundo material não aceita. Tornamo-nos amigas do “peito”, por verdadeiras razões de peito e a amizade progride, acelera, de peito feito (ou refeito, nalguns casos) na segunda etapa do conhecimento materializado por encontros vários. Que assim continue, eu desejo muito.
Eu tenho uma África e o Jorge tem outra. Da África do Jorge vieram também amigos conhecer o Flamingo Zé. Levaram-no no coração e isso é bom.
Podia ter acontecido emoção sem o Jorge, os meus filhos e a Sofia? Claro que não. Estão agarrados à minha pele. Faço finalmente jus ao epíteto. Sou uma “chata”. A Filipa não se importa de ficar aqui connosco, nesta categoria “famílias”? É que agora somos mesmo família e isso é bom.
Sei dos verdadeiros impedimentos inultrapassáveis dos que não puderam estar e também contam.
Obrigada a todos. Foi mesmo inesquecível!
Para os amigos da Nini, para a Carmo e Jorge Nuno, para o André, Ana e pais, uma abraço cor-de-flamingo!!! foto da Mélita

16 comentários:

May Alek disse...

Parabéns, Madalena!
A capa do livro está linda, com uma leveza que indica uma leitura doce.
Um beijo grande.

Natália disse...

Mais uma vez Parabéns Madalena,mais uma vez foi um sucesso.
Assim se vê como tu és tão querida por todos,tiveste uma sala cheia de amigos no Montijo e agora foi o mesmo,só mesmo uma pessoa muito querida consegue juntar tanta gente e sabes que são todos teus amigos.
Beijinhos e um óptimo domingo.

João disse...

Muitos Parabéns à autora e ao "Zé" que nasceu.

João

IsaLenca disse...

Muitos parabéns!
O espaço foi pequeno para tantos amigos que ocorreram, mas que souberam estar presente numa altura taão importante como o nascimento do Flamingo Zé.

Bjs

E um beijinho de parabéns à amiga ilustradora, Ana Sousa, que tem um olhar super meigo e é uma simpatia.

Lina Querubim disse...

Mais uma vez parabéns!
Foi um dia cheio de emoções imagino!
Beijinhos sucesso com o Livro e tem um bom domingo!!!

O Baú do Xekim disse...

Olá Madalena.

Fico feliz, por mais uma amiga minha, ter sucesso nas lides da escrita.

Continue e muitas felicidades.

Beijinhos.

Teresa disse...

Mais uma vez, parabéns, Madalena. Sou uma novas amizades mas é fácil perceber porque te rodeias de tantas e tão boas. Foi um privilégio para mim ter estado lá.
Um grande beijinho,
TP

TeresaM disse...

Amiga do "peito"
Que bonita a tua mensagem...
Céus...tão bonita!

maguie disse...

que linda mensagem querida Madalena, é para mim um orgulho enorme fazer parte das suas amigas do peito, obrigado pelo convite, obrigado por tudo, quem lhe diz que é uma boa pessoa não está enganado, muitas felicidades e muito sucesso
beijinhos
<Maguie
..

IO disse...

E eu de passagem, que o tempo é das sobrinhas, pergunto se a Ruchinha se chama Mª João SN?
Beijo para a menina autora do comovente post,
IO

Anónimo disse...

Parabéns Madalena! Já vi que a festa foi bonita...e eu bem que desconfiei que havia qualquer coisa. Dá para pôr o Zé Flamingo assim num pacotinho em direcção ao Norte?
Beijinhos
M.Dores

CMP disse...

Mas como é possivel dizerem-te poucas vezes que és boa pessoa? Tens dúvidas? Falto eu por aí para te dizer isso todos os dias.:)

Graça Pereira disse...

Parabens pela publicação do teu livro(aonde o posso adquirir?
Parabens pela festa da Amizade e se a houve, é porque tu mereces...
Nestes encontros, todas as lembranças nos fazem sorrir e quase...voltamos a vestir o uniforme do Colégio... Quem disse que recordar, não é bom?
Beijocas, minha querida!
Graça

Lina Querubim disse...

Psttttt...shiuuuu...Meninasssssssssss vão ao blogi da Nána que deixei lá uma sugestão digam a vossa justiça!!!!
Bjs

Janine disse...

Um beijinho enorme, querida Madalena!
Fico muito Feliz de que o Flamingo Zé se tenha portado tão bem.
Quanto à pergunta no facebook, espero estar em breve com todas as pessoas lindas que conheci nos blogues das Guerreiras.
Vou amanhã passar 3 dias a Mirandela, depois 3 semanas em São Pedro de Moel e depois não faço ideia.
Mas em Setembro, Outubro estarei por Lisboa semana após semana. Um beijo enorme, querida Madalena...

O Baú do Xekim disse...

Olá Madalena, boa tarde.

Lhe desejo um feliz domingo em família.

Beijinhos.