segunda-feira, 3 de janeiro de 2005

"Porque Alcochete não é só...

restos de colecção"
É também um território que nasceu ligado ao rio...

por ondem correm pontes que aproximam as margens.

Onde há passados lembrados em becos escondidos!

Onde nasceram venerados santos,

e veneráveis reis.

Onde a tradição também se serve doce e quente, saboreável à beira-forno.

Onde a tradição envelhece, perde a cor,

mas não morre.

3 comentários:

Águas de Março disse...

Muito simpática, a tua homenagen a Alcochete. Conheço tão pouco essas paragens.. lembro-me de touros, pouco mais..
Beijos,
Ana Maria

molin disse...

Muitos gostam do local onde moram (embora eu tenha as minhas dúvidas), mas poucos orgulham-se conhecem o local como tu o demonstras aqui.

É por isso que os sítios são especiais pela sua história, feita pelas pessoas que lá moram e fazem-se, então, «filhos da terra».

Beijinho.

titas disse...

que bonito, Mada. Há tanto tempo que lá não vou. Bateu a saudade, pois, descrita por ti esta terra parece mais bonita ainda.
(O meu Ribatejo é todo ele lindo)