sábado, 5 de fevereiro de 2005

Blog Vida


Velhos são os trapos e, com máximas como esta, empurramos para os fundos mais fundos das nossas preocupações, a velhice: a dos nossos, a dos outros e a nossa própria.
A velhice não é uma idade da vida igual às outras.
É a última idade da vida e isto não pode ser ignorado.
A maior parte dos nossos idosos vivem no limiar da pobreza e só isto devia já causar-nos engulhos nas almas.
Mas não é só à pobreza dos velhinhos que devemos estar atentos.
Eles já estão há muito despojados da beleza física e da saúde.
E há mais despojamentos.
O mais triste é, sem dúvida, o da esperança!
E desse temos uma responsabilidade social grande.
Ajudemo-los a esperar o amanhã!

6 comentários:

Anónimo disse...

Um beijinho especial, Madalena. Pela tua sensibilidade, por tocares nesta "ferida". É uma das coisas que mais me custa ver, também. Bom domingo!
Cin :)*

Anónimo disse...

Em África, pelo contrário, os velhos são acarinhados e respeitados. Porque raros e porque, na ausência de bibliotecas, são eles a transmissão do Saber. _ beijo, IO.

Madalena disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Madalena disse...

Quando o conhecimento não é também parte dos despojamentos, Chuinga!
Beijinho às duas.
Espreitem :www.liceudana.8m.com

Anónimo disse...

Já fui espreitar :) Fiz o 1º e o 2º lá, mas em 64/65 e 65/66. beijinhos e bom domingo de sol!
Cinda

lique disse...

Tens tanta razão no que aqui escreves! É tão triste ver o abandono a que muitos velhos são votados! No fundo, todos temos responsabilidade, é bem certo. Beijinhos