quarta-feira, 16 de fevereiro de 2005

Misturas de mim

afro e saloia.
O Maschamba acabou. Expressei a minha gratidão pois foi esse o blog de partida para outros blogs de Moçambique ou de gente de lá.
Graças aos blogs já conheço um bocadinho mais da terra onde nasci.
O Jorge Leite "apresentou-me" à Igreja de Mocuba e ao Conselho Executivo, cuja praça já me tinha sido mostrada pelo Moçambique Passado e Presente
Através do JPT, o dono do Maschamba, conheci outros e envolvi-me com as minhas próprias memórias que estavam muito arrumadinhas, num baú fechado, com cadeado, com segredo. Por nenhuma razão especial. Apenas porque gosto deste presente, sobretudo no que toca à família que somos, que tem esta transcrição matemática: uma moçambicana + um angolano = dois portugueses (Ou "outros" como aconteceu com os meus filhos, na altura de uma famosa estatítica do Ministério da Educação, cujo objectivo era apurar a multiculturalidade dos nossos alunos. O caso dos meus filhos não estava descrito! Ia para os "outros"!).
Na região saloia criei raízes, indo ao encontro de outras raízes que já lá estavam.
Fiquei saloia de coração.
Este quadro localiza-se precisamente no Senhor Roubado, onde Lisboa acaba e Odivelas começa e chama-se o caminho de Odivelas. Assina o autor: Adjuto, que conheci na exposição onde adquiri o quadro.
Fi-lo por sentir, já nessa altura, que esta era a minha identidade: afrossaloia!

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito bonito, Madalena, o texto e o sentir! _ uma que te encontrou no ma-shamba, IO.

Eufigénio disse...

A verdadeira portugalidade, essa multiculturalidade
essa que o quadro nos diz, e o que diz o que escreves

mmicr disse...

Andei a digerir este teu post, mas olha sou também uma angolana-moçambicana-portuguesa-sul-africana! E esta nacionalidade não se encontra em formulário algum... O JPT foi a quem pedi para ver se o quadro do teu pai está no hospital, já que o rapaz foi para Nampula. Inda não veio!
Um beijinho para ti minha querida Mada :)