terça-feira, 29 de março de 2005

A Ponte Vasco Da Gama

A minha vida mudou há sete anos, quando foi inaugurada a Ponte Vasco da Gama.
a  ponte
O meu exílio passou a ser um exílio voluntário e comecei a sentir algum agrado em morar do lado de cá da confusão da grande cidade, numa pequena cidade de província que lutava para se manter cidade de província e jurava a pés juntos (ou a braços de rio juntos) que não seria uma Almada ou um Barreiro, que ia crescer ordenadamente, contra todos os maus augúrios dos maldizentes do costume.
E a cidade é ainda uma cidade onde se pode chegar de barco, em explosões de azul, porque há dias assim:chegada ao Montijo
Onde os prédios teimam em não crescer, para lá dos quatro andares, envergonhando-se os poucos que, num passado não muito distante, o fizeram.
Onde o sol nasce do rio e morre em mergulho deslumbrante, poisando antes nas muitas palmeiras, que por cá foram plantadas.saldanha sunset
Montijo, 29 de Março de 2005 - Hoje
Há sete anos, a 29 de Março de 1998, a Ponte Vasco da Gama foi oficialmente inaugurada.
Nesse dia, todos queriam passar a ponte.
Eu também, mas não consegui. Os acessos, inacabados, quase atalhos, estavam completamente bloqueados.
As ruas estavam repletas de carros e, mesmo quem foi para Lisboa nessa noite, não levou menos tempo do que levaria pela estrada antiga. É que todos rolavam devagar, para saborear a paisagem. Muitos paravam. E os acessos em Lisboa também estavam por acabar.
Mesmo com o caos, as pessoas estavam felizes. O orgulho português nestas coisas não se aflige com ninharias...
A Ponte Vasco da Gama era um feito que honrava o nome do navegador.
Olhando pela janela do meu escritório vejo as luzes todas alinhadinhas do tabuleiro da ponte. Neste momento passa um autocarro. Não é o da Selecção, mas até esse foi visível desta janela.
Tenho razões de sobra para dizer que esta é a ponte do meu contentamento.

6 comentários:

espumante disse...

Estás aqui estás a dizer que estiveste na feijoada da inauguração :))
Tens fotos lindíssimas e a sensibilidade duma corda de violino. Beijinhos

Anónimo disse...

Puxa, que estava difícil... Parabéns, Madalena, todos os que passam por essa tua margem confirmam o teu gosto! _ beijo, IO.

lique disse...

É uma ponte lindíssima! Tens toda a razão.:) Beijinhos

Cinda disse...

É uma sorte e uma alegria podermos morar onde gostamos, não é? Não conheço bem o Montijo mas deve ser especial...até palmeiras tem! :) Beijocas, minha querida

Pitucha disse...

Madalena

Acrescento que vista do ar é uma ponte fantástica! Eu estou do outro lado da ponte (Olivais-Sul) e quando a vejo do avião sei que cheguei a casa.
Beijinhos

eduardo disse...

Ai Montijo, Montijo... segredos meus. Ainda sem ponte e com barcos de Lisboa que demoravam pouco tempo p'ra lá e uma eternidade p'ra cá.
Faz tempo que não vou para esses lados, Madalena, mas pelo que mostras deve estar mais bonito.