segunda-feira, 14 de março de 2005

Sonhos de Finalista

A palavra "finalista" normalmente tem sentido em contextos académicos e desportivos. Talvez em alguns festivais da canção, onde se procede a um apuramento prévio.
Mas, seja onde for, o significado anda sempre pelas proximidades de um fim de ciclo.
Começamos por ser finalistas no Infantário.
(Eu andei num infantário! Tinha carrinha e tudo.)
Bem, na minha cabeça, eu estava mesmo à beira de ser uma pessoa totalmente independente e capaz de decidir a minha própria vida. Bastava só completar os seis anos.
Ia depois para uma escola primária, que já era uma instituição a sério...
Cheguei a pensar que aos seis anos já podia casar.
Talvez com o meu vizinho do lado que tinha um triciclo, muitos caracóis e até chegámos a tirar umas fotografias os dois, sentados na escada um ao lado do outro.
Nada aconteceu como tinha imaginado.
No primeiro dia de aulas, o meu pai levou-me à Escola Rebelo da Silva, entregou-me à professora e, muito depressa, tomei consciência de que eu não sabia nada, nem podia fazer nada com aquela nova condição.
Ainda tentei chamar a atenção da professora para os meus conhecimentos já adquiridos na escolinha dos pequeninos.
Sofri a primeira humilhação intelectual e adiei o sonho de finalista, mais uns anos...
escola rebelo da silva
Imagem roubada dos Grupos MSN. Espero que me perdoem a ousadia...
É que esta é mesmo a Escola Primária onde eu andei e onde desfiz as ilusões de me tornar independente e livre!
Pensava eu que ser crescido era assim tão bom!

2 comentários:

Emilia disse...

Olá:
O agradecimento também passa pelo "link" não é Madalena?
Por isso aí vai ele...
Gostei deste texto sobre "os finalistas" e, sempre que somos finalista em alguma coisa, iniciamos outra...
Um abraço,
Emília

Anónimo disse...

Uff!... até que enfim, vou poder contar-te que nunca fui grande finalista, pois fui-o em conjunturas de extremo, boas e más e, por isso, o que lembro mais são os primeiros dias na escolinha, em Nampula (chorei que me fartei _ bem dizia o Shaw que aos 6 anos tinha interrompido a sua educação para ir à escola!), no liceu, que escola enorme me pareceu o D.Ana, na faculdade, livre!, etc., etc... ah, já agora dei aulas de escolarização a adultos na tua escola primária (que foi tb a da minha irmã), em 1975 _ matemática e geografia.
Beijo grande, IO.