quarta-feira, 29 de junho de 2005

Emídio Guerreiro

Partiu uma referência da Liberdade dos nossos tempos!
A vida, contada em mais de uma centena de anos, e a lucidez, também prolongada para além do que e habitual, não nos tinham preparado para mais este desaparecimento.
Mas o que importa é a vida e o que dela se fez. Este homem construiu muitas consciências livres.
Obrigada!

6 comentários:

Incompetente disse...

Ó Madalena,

É.
Infelizmente já tinha lido na Chuinga. C'est la vie!
Fica o registo: um construtor de consciências livres.

Beijo sad!

Laura Lara disse...

É verdade, Madalena.
Ele próprio afirmou “Como não pode haver dignidade se não houver liberdade, naturalmente que eu lutei pela liberdade”.
Foi um Guerreiro guerreiro e assim ficará na História.

Thita disse...

Bom dia.
Sei muito pouco sobre ele mas o nome era referido em casa do meu avô quando falavam de política e dos tempos revolucionários e isso.
E eu ouvia tudo sentadinha e muito calada a um cantinho.

Vou preparar-me para as férias mas tinha que vir aqui dar-lhe um beijinho muito grande e desejasr que as suas também sejam muito boas. :)

Ni disse...

Sim Madalena,muitas consciências livres...foi mesmo uma referência.

C.S.A. disse...

Sim, M., alguém que andava com certeza espantado de existir... deixou-nos, e este ano tem sido particularmente duro, de golpes terríveis, mas não vejo que se endireite... eu ando muito... gostava que a terra que piso fosse maior que uma fé... lugar saboreando o espanto de existir, mas é difícil, muito difícil!
M., um beijo de lágrimas.

Emilia disse...

Olá Madalena!
Não acrescentando nada ao que já foi dito aqui anteriormente pois iria repetir, apenas gostaria de acrescentar que nunca estamos preparados para desaparecimentos, pois não? Mesmo aqueles que, como se costuma dizer, "são esperados" a qualquer momento.
Um abraço,
Emília.