domingo, 10 de julho de 2005

Coca-Cola é que é!


A biografia da Coca-cola é muito atribulada. Começo a contar a história, a partir das muitas histórias que vou lendo por aqui, esbarro nas minhas recordações tão simples: Coca-Cola com torradas, em tardes de sexta, no Scala Café. (Na esplanada não, que duas meninas não se podem expor numa esplanada, cheia de homens a olhar e com a tropa que acabou de desembarcar num porto perto, a passar e a olhar ainda mais.)
Sinto que vivi a minha infância e a minha adolescência num mundo moderno, onde até havia Coca-Cola. Era uma garrafinha feita de vidro esverdeado, com uma carica forradinha com uma rodelinha branca, de onde às vezes saía um prémio.
(A guerra que se sentia, embora se dissesse que não, ensombra esta recordação!)
Os mais velhos misturavam a Coca-Cola com whisky e muito gelo. Nós os mais pequenos misturávamos com bolas de gelado de baunilha.
(Com muito cuidado porque a espuma podia transbordar!)
De acordo com fontes geralmente bem informadas, faz hoje vinte anos que a Coca-Cola reintroduziu no mercado a fórmula original, com o nome de Coca-Cola Clássica!
Há ainda uma outra razão para escolher esta efeméride: Eu sou ainda Coca-Cola por parte da infância e da adolescência, parafraseando uns homoristas do meu tempo, que se vão deixar ultrapassar pelo humor dos pastéis de nata!!!
É domingo! Está calor!
-Uma Coca-Cola bem geladinha, por favor!

5 comentários:

Anónimo disse...

Bem geladinha e com uma rodelinha de limão!É pena já não se encontrar a genuina,da garrafinha esverdeada.Parece que tinha outro sabor,e então no Scala e com a bola de gelado nem se fala.
Quando vim para Portugal,ainda era proibida essa bebida.Em1976 fiz o serviço médico à periferia em Reguengos de Monsaraz com mais cinco colegas,todos Moçambicanos.As saudades da Coca-Cola eram tais que iamos com o Delegado de Saúde de Reguengos a Espanha e trazíamos uma grade.Isto porque a ele não revistavam o carro e lá passava o nosso "contrabando",que dava para uma semanita, bem gerido.
Um grande beijinho
ana

JAzevedo disse...

E a acompanhar as bolas de berlim na esplanada do Djambo???
Do que vocês se haviam de lembrar...

espumante disse...

Num passado recente, só havia coca cola em lata, da A do Sul. Até que a Coca cola (elle même) reactivou a fábrica e hoje Moçambique é auto suficiente nesta bebida. O curioso é que de um modo geral toda a gente prefere a coca cola nacional, um pouco mais doce que a sul africana e com aquele toque que recorda exactmente o gosto da coca cola antiga. Lá porquê não sei, o "syrup" vem da AS mas toda a gente nota a diferença. Será da água? Eu não percebo da coisa mas que há diferenças, há. Servida nas velhas garrafas de vidro e tudo
:))

IO disse...

Eh, pá, estrágavamos mesmo o precioso líquido..... mas eu era com bola de sorvete de chocolate - aprendi em Pemba - melhor, P.A., já que foi em 69.
Quanto ao whisky, estraguei-o lá com Ginger Alle e só cá (porque não gosto) o estrago com Coca-Cola... - beijo, uma fã da Coca-cola!!

Incompetente disse...

Ó Madalena,

Com a esturra que apanhei hoje, era homem para ter consumido uma grade inteirinha delas... geladinhas(sem cafeína!). Fui fazer o meu "circuito das barragens", jogging and fishing at the same time. Muitas milhas, muita água, muito verde, muito calor e, sobretudo, muito oxigénio e muita beleza natural. Saída às quatro da madrugada, que os prazeres pagam-se com... pouca cama!

Beijos... tipo lagosta suada!