terça-feira, 23 de agosto de 2005

Blogs? Para quê?

Está muita gente a desistir...
A reflexão sobre todas as continuações impõe-se!
Qual é afinal o papel dos blogs?
Um artigo do Público de hoje, assinado por Vital Moreira, fala de algumas coisas que também interessam a quem está por aqui apenas por pura diversão.

O "quinto poder"?Vital Moreira
Corre nestes dias uma animada troca de opiniões entre vários blogues nacionais sobre a função e o poder dos blogues, bem como sobre as relações entre eles e os media tradicionais. Estas questões não são propriamente inéditas. Mas tendo em conta que a questão já teve algumas repercussões na imprensa, vale a pena trazê-la para o público em geral.
Comece por afirmar-se que, apesar de crescente, a visibilidade pública dos blogues é ainda muito reduzida entre nós. É pequeno o número dos seus frequentadores regulares. São muito poucos os blogues que têm notoriedade, devendo-a vários deles ao conhecimento de que os seus autores gozam por razões exteriores à blogosfera, como políticos, comentadores, colunistas, etc. A blogosfera continua a ser, portanto, um mundo relativamente restrito de "conhecedores".
Claro que é fácil criar um blogue. É gratuito e não exige nenhum saber específico. Basta um computador e uma ligação à Internet. Alguns minutos a preencher os procedimentos, e já está. Pode-se logo escrever e publicar o primeiro poste. Imagino o fascínio de lançar para o éter o primeiro texto. O problema vem depois, ter quem os leia. A maioria dos novos blogues são nados-mortos, que vegetam até à desistência, sem chegarem a ser conhecidos para além dos seus autores. Inúmeros génios da blogosfera" para si mesmos" acabaram amargamente na frustração.
Dada a incipiência da blogosfera, o maior risco consiste em sobrestimar a sua influência, em especial no espaço público. Para começar, grande parte dos blogues não deseja ter nenhum impacte público geral. Nascem como simples meios de expressão pessoal dos seus autores. Há blogues de artistas, de músicos, de poetas, de cultores de vários saberes, desde a culinária às ciências ocultas. Quando discutimos o impacte dos blogues, queremos referir normalmente a sua influência na opinião pública, em geral, e na esfera política, em especial, nomeadamente no campo da luta ideológica e da crítica do poder político. Fora a função de proselitismo ideológico, a que muitos se limitam, qual é o verdadeiro papel dos blogues?

(excerto)

8 comentários:

IO disse...

Também li, Madalena, mas só agora voltei a ter computador... é um tema rico, vou também discuti-lo.
Beijo grande, IO.

Laura Lara disse...

Madalena
O que no, dia 27 de Abril, escrevinhei no meu blog - Que atracção é esta? - encaixa-se aqui, eu acho.
Beijinhos

C.S.A. disse...

Um beijinho para ti, querida Madalena.
Eu ando intermitente. Quero fazer férias e não posso, quero trabalhar e não tenho forças. Por isso, vou piscando como os caga-lumes, vulgo pirilampos, a-ver-a-ver... cá vou andando.

t-shelf disse...

O meu é definitivamente um meio de expressão pessoal, mas estou-lhe muuito grata pelos encontros com almas quase gémeas que já me proporcionou ;) E isso para além de interessante é muito gratificante.
beijinhos

Armando S. Sousa disse...

Querem saber a minha opinião?
É o meu blogue.
Um abraço.

Incompetente disse...

Ó Madalena,

Também já tive a oportunidade de explicar num post, a razão de ser do Zero. Coincidência, ou não, também eu estou a ficar... "cansado" e tenho pensado, ultimamente, em mandá-lo às urtigas (ao blogue, claro!). Por isso, qualquer dia, o dito cujo já era e o Incompetente parte para outra.
Aqui na blogosfera, há a liberdade de criar e extinguir e, às vezes, nem eu sei bem porquê, há que sair, dar o fora, parar um pouco e, eventualmente, recriar, entrar com outra "máscara", ou dar a cara, se for caso disso. E eu sei do que falo, pois esta já não é a primeira vez, já estive numa colectiva (éramos dois) muito mais "in", o que não evitou que também essa, a primeira, tenha terminado, curiosamente, no apogeu.
O que vai adiando a coisa são os amigos e, como diz o amigo Armando, e muito bem, o facto de ser "o meu blogue".
Enfin, c’est la vie!

Beijos... virtuais!

IO disse...

Eu cá já 'os' mandei sair de onde acham que há gente a mais: e viva o comentário do Armando!, IO.

Menina_marota disse...

Um Blog é uma forma de evasão, dos nossos pensamentos, das nossas ideias, dos nossos sentimentos.

"... O "quinto poder"?..."
Ridículo! Completamente!

Acho que quem tenta dar notoriedade tentando sair do espaço virtual a que se confinam as suas páginas, são os próprios!

Há muito que existem Blog’s, para satisfação pessoal dos seus utentes.
Só muito recentemente, se começou a dar importância à blogosfera portuguesa, a partir do momento, que "caras conhecidas" da nossa praça, começaram a fazer da blogosfera, um espaço de opinião própria, onde dizem o que querem e, a maioria dos casos, nem dão o direito a comentários directos.
Sejamos francos, quem tenta dar uma notoriedade ou um papel diferente à blogosfera, são exactamente aqueles, que sob disfarce, querem ver essa notoriedade afirmada.
Porque quem faz da blogosfera, uma conjugação de sentimentos, uma transposição dos seus próprios conhecimentos, absorvendo o dos outros e consegue fazer disso uma permuta saudável, não está a questionar verdadeiramente, “ qual é o verdadeiro papel dos blogues?”
Porque esse papel, somos nós utentes, que o damos ou retiramos.
Por exemplo: eu tenho 4 blogues. Não pela ânsia de poder, mas porque eles são um complemento de mim. São os meus personagens. São aquilo que verdadeiramente sou. Ambos são um todo. E, esse todo sou eu!
Portando ver fantasmas, onde eles não existem, é criar os seus próprios fantasmas. E, quem quer ver fantasmas? Aqueles que precisam de os ter, para se afirmarem… Haja senso…
Um abraço ;)