sexta-feira, 5 de agosto de 2005

the lady in the tutti-frutti hat

Carmen Miranda é um mito tão misturado como as frutas dos seus chapéus.
Nascida em Portugal, em Marco de Canaveses, levada ainda muito pequena para o Brasil, foi aí que Maria do Carmo cresceu, ao ritmo do samba.
Nos sonhos dos artistas o limite é Hollywood e foi à procura desse diploma que Carmen (inspiração da outra Carmen de sucesso, de Bizet) partiu e se "americanizou", o que não agradou ao seu público brasileiro.
Carmen tinha ido para os Estados Unidos, em busca de uma fama que só ela conseguiria alcançar: deixar o seu nome e a impressão mais do que digital, a impressão das mãos e dos pés, no passeio da fama.
Foi grande o seu sucesso e pequena a sua vida.
Tinha apenas quarenta e seis anos quando morreu de coração e de alguns desgostos.
Há cinquenta anos!

E agora? Será samba? Será marcha? Isso é lá com o Santo António...

1 comentário:

Armando S. Sousa disse...

Os brasileiros não gostaram muito da "americanização" de Carmen Miranda, mas hoje é mundialmente famoso os seus chapéus de frutas, indexados ao Brasil.
Um abraço.