sábado, 19 de novembro de 2005

Ao canto do Outono,

à esquina do Inverno,
homem das castanhas
o homem das castanhas é eterno.
Ary dos Santos

5 comentários:

IO disse...

Tão bonita, esta homenagem que Ary dos Santos fez a um homem da nossa rua, o das castanhas - beijo, IO.

C.S.A. disse...

Pena ter-se perdido o hábito dos pregões. Eu gostava muito.

t-shelf disse...

Que bonito o poema que vai tão bem com estes dias chuvosos de inverno que trazem o cheiro reconfortante das castanhas. bjs maddy

Butterfly disse...

Gostei muito desta pequena homenagem, simples e singela!Beijinhos

Pitucha disse...

O cheiro das castanhas assadas aquece a alma!
Beijos Madalena