sexta-feira, 7 de abril de 2006

Almada Negreiros


"(...) quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam todas escritas, só faltava uma coisa - salvar a humanidade."
(A Invenção do Dia Claro)
Posso procurar muito e encontrar muito sobre Almada, mas nada me causa a emoção do "Cágado".
Guardei-o aqui, neste baú.
Almada, o do "Morra Dantas! Morra Pim!", que a minha amiga Angélica tanto citava, nasceu a 7 de Abril de 1893, em S. Tomé. De lá trouxe, ainda muito pequeno os olhos imensos "para ver o mundo", sabendo que o mundo que lhe ofereciam não lhe chegava, tal como o tempo não seria o suficiente, feitas as contas, para ler tudo o que queria ler, tudo o que havia para ler.
Uma arte, um talento não lhe chegavam também. Foi escritor e artista plástico.
Poeta também, capaz de uma ternura universal:
"Mãe, quando tu passas a mão pela minha cabeça é tudo tão verdade!"

3 comentários:

dakidali disse...

Um homem cheio de talentos.
Beijinhos

IO disse...

Uff!, que dia enorme, este dia 7 de Abril, dia da Mulher Moçambicana!! - beijo, uma fã absoluta de Almada: "Coragem portugueses, só vos faltam as qualidades" lol, actualíssimo!!!

Ni disse...

Gosto muito do Almada Negreiros...e continua tão actual!
Um beijinho para ti muito especial neste dia da Mulher Moçambicana.
Boas férias e até breve.