sábado, 24 de junho de 2006

Senhora Ministra, Senhores, Senhoras

Esta é um pedaço da minha escola.
No Inverno, nos dias muito frios, mesmo ao meio-dia, o termómetro não vai além dos oito graus.
Querem que eu me orgulhe?
Querem que eu esqueça?
Querem que eu endoideça a pensar que sou culpada do insucesso de miúdos que têm fome, frio e outras dores que eles nem entendem?
Eu, culpada? Eu até lá estou, com eles. Por acaso, a aula até "acontece", como dizia Sebastião da Gama!
Esta "peça" não é ficção!
Claro que as baixas temperaturas não podem provar-se com uma fotografia, mas pode a acumulação da chuva em poças tão lindas que parecem lagos, onde as árvores se vêem ao espelho...

14 comentários:

Ni disse...

Pois é Madalena,se eles lá estivessem como nós!!!
Muito bonito o teu texto.
E acho que sobre isto não consigo dizer mais nada,fico demasiado triste e não posso nem quero.
Um abraço solidário.

Teresa Leite disse...

Pois é Madalena, eu ensinava-os a dar aulas por 8 dias no Inverno em dia de cuva e frio, e no Verão, naqueles dias que nós suportamos e os garotos também, com o suor a escorrer pela cara e pelas pernas (3º mundista. e não são apenas os pavilhões, o resto da escola enferma do mesmo mal. Talvez passando pela experiência, pelo menos calassem a boca, falassem menos e resolvessem melhor o que efectivamente está mal.

papoilasaltitante disse...

Pois é... como dizia a Maria Filomena Mónica( com quem não concordo em muitas coisas) os filhos da Srª Ministra nã andam nestas escolas..,não é verdade???!!!
Beijos

IC disse...

Pois é... na minha escola já houve baldes nas salas de aula a apararem a chuva, e só já não há graças ao nosso sr. Fernando, um funcionário que vai fazendo milagres. E a minha escola (até me esqueço que desde há poucos dias é minha ex-escola)fica em plena capital, em zona não degradada.

espumante disse...

É um dos nossos grandes males. Mal comparado, é um bocadinho como aquele pai que tranca a filha em casa e não a deixa ir a discotecas e depois sai ele para os copos com um par de pegas ao colo. O Estado não tem, realmente, moral para exigir seja o que for dos cidadãos pela incúria, gestão danosa, amoralidade, corrupção, amiguismo e atentados contra a dignidade e progresso dos seus contribuintes. O problema é que se entra depois num ciclo vicioso. Não se reforma porque o Estado não tem moral para o fazer e não se tem moral porque as pessoas são as mesmas, somos todos juntos que continuamos a constituir um exemplo de cidadania de que pouco nos podemos orgulhar. E mesmo neste ponto, do nosso nível de cidadania haverá sempre quem diga: - Então e o gregos e os italianos? Por outras palavras, se eles são venais e corruptos porque não o poderemos ser, também?
Li por aí num blog cujo nome não me ocorre agora que se "a génese do nosso país assenta na forma como Afonso Henriques tratou a mãe e no facto de em 92.000 km2 sermos inevitavelmente todos primos com evidentes sinais de consaguinidade", como é que havemos de conseguir gerir a paróquia?
Beijinho, bom fim de semana e paciência aí para a "jaula" que mais tarde deve estar tudo a falar de futebol. E viva o Scolari :))))

ana sofia disse...

Querida professora!!!
Quando vi o seu blog quis logo ir le-lo.
Mesmo não gostando muito de Inglês......a Stora deu me a força de tentar estar mais atenta.
Sei que não tem muito a ver com o texto que escreveu.Mas só lhe queria relembrar que teve uma aluna que gostou muito de si e que nunca mais se irá esquecer da ajuda que me deu a enfrentar as minhas dificldades!!!!
Não consegui enfrentá-las todas, mas isso vou ter de conseguir ao longo dos anos.Mesmo assim nunca me irei esquecer de si, a ajuda e a força com que me quis ajudar.Se calhar deve estar a pensar "mas que aluna será????"
Beijinhos e Abraços da Ana Sofia do 5ºA/6ºA nº4/nº4 2004/2005 e 2005/2006
Adorei aprender consigo(mesmo não tendo mostrado um grande esforço ao longo dos 2 anos que passei consigo)

Ministra da Educação disse...

Escolheu um dia em q deve ter chovido a cântaros para apresentar esta fotografia (q pode ser uma montagem). Realmente, se o Ministério não gastasse tanto dinheiro com os ordenados dos professores (e os resultados são o q se vê) ainda poderia ter dinheiro para arranjar as escolas. Mas o dinheiro dos impostos dos privados não é nenhum saco fundo para pagar os ordenados dos funcionários públicos portugueses...

Ps. engraçado uma análise dos comentadores, tb professores: começam todos por "Pois é". Devem ter tirado todos o curso na mesma escola.

ps2.Sosseguem q agora têm quase 3 meses de férias para recuperarem forças e voltarem a reclamar q está tudo mal na Educação, menos vocês

Madalena disse...

Ni, Teresa, Papoila e Isabel: Obrigada pela vossa visita. Sabem bem do que falo, claro!
Espumante, Portugal ganhou! Viva!
Sofia, querida aluna, sei que vais continuar a ser como és e com um lado humano tão bom, mais dia, menos dia, o Inglês vai sorrir-te. Um beijinho para ti e obrigada, muito obrigada mesmo. É como se me estivesses a dar um "Cinco"!
Ministra, hoje é domingo. Além disso há festa na minha terra, lá longe e há festa nesta minha outra terra. depois falamos, sim?

Pitucha disse...

Madalena
Pra que conste, não sou professora! Mas acho que esta fotografia é uma tristeza. Como é uma tristeza o estado a que chegou o ensino em Portugal, documentado nas estatísticas e em fotos como esta...
Um grande beijo

Madalena disse...

É, Pitucha, uma tristeza! Estes pavilhões vieram de outras escolas, noemadamente da Cidade Universitária e a sua "platação" teve um custo semelhante ao da Construção de um bloco de aulas.
É ainda mais triste por isso! Beijinho para ti!

Alexandre disse...

POIS É, infelizmente ainda existem pessoas que preferem criticar só por criticar, ignorando completamente o que se passa no dia a dia das escolas...

O pior cego é aquele que não quer ver, e provavelmente por isso é que temos o aproveitamento escolar que temos (passe o pleonasmo).

Sinceramente... Nem tudo está bem no universo de professores no nosso País mas o mal não vem daí... É apenas uma consequência da causa da situação actual...

Beijo grande Madalena e uma boa dose de paciência!

dakidali disse...

Texto cheio de razão acompanahdo de uma foto que bem podia ser uma escola qualquer neste nosso Portugal.
Beijinhos

Madalena disse...

Alexandre, obrigada pelo apoio!
Teresa, pois podia! Pode parecer que não, mas a questão das condições ainda levanta problemas.
Beijinhos aos dois.

António Chaves Ferrão disse...

Cara Madalena

O Ensino em Portugal é certamente diferente do Ensino noutros países. Estou, no entanto, convencido que o Ensino com sucesso num país é semelhante ao Ensino com sucesso noutro país. Parece-me entao relativamente fácil saber que direcçao tomar para melhorar: basta ver o que fazem aqueles que têm sucesso: qual a relaçao professor-aluno, qual a carga horária dos alunos em cada disciplina e no conjunto das disciplinas, por quais estruturas são geridos os problemas de indisciplina, etc.

Quanto á Ministra, estamos perante um caso sui-generis: o equivalente na Defesa sería um Ministro a insultar os militares todos os dias; na Economia, um Ministro a insultar os empresários todos os dias (além de chamar improdutivos aos trabalhadores); e por aí adiante.

Isso em nada modifica o essencial: qualquer reforma do Ensino terá sempre que ser feita com os professores, em caso algum contra os professores. Mas claro que adia as acções necessárias.

No meio tempo... os meus parabéns pelo testemunho público que consegiu de um dos seus alunos (identificado). Creio que este facto suplanta em valor as diabrites da Ministra.