sexta-feira, 10 de novembro de 2006

(...)

professora
Sempre que procuro uma coisa, encontro outra que estava ou perdida, ou esquecida.
É o caso de um dos meus livrinhos de autógrafos.
A capa plástica esconde-lhe o tempo e só abrindo pode calcular-se a riqueza que guarda: os meus pais, os meus amigos de infância, ídolos (quem os não tem?) e até a minha professora da primeira e da segunda classe. A Dona Fernanda!
Nunca me esquecerei a sua imensa bondade. Era paciente, calma e dedicada.
Nunca lhe devo ter agradecido a confiança que me ensinou, para além das letras e das contas. Não tinha essa consciência na altura e depois... o tempo passou.
Tardiamente, mas com o coração a transbordar de ternura, deixo aqui a minha gratidão!

3 comentários:

Laura Lara disse...

Que encanto, Madalena!
Beijinhos e bom fim-de-semana

Mitsou disse...

A ternura de sempre, Madalena.
E fizeste-me lembrar, também, dos livrinhos de autógrafos :)

Beijinhos doces, amiga, e bom fim-de-semana.

chuvamiudinha disse...

Bonita homenagem, que querida! Bom fim de semana.