quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Jorge de Sena (Lisboa, 2 de Novembro de 1919)

Que Portugal se espera em Portugal
Que gente há-de erguer-se desta gente?
Pagam-se impérios com o bem e com o mal
mas com que há-de pagar-se a quem só rouba a mente?

Estes são versos, quatro apenas, de um poema longo que Jorge de Sena enviou a Sophia de Mello Breyner, numa das cartas que transborda do sentimento de injustiçado de amor pátrio, que foi Sena. A poetisa respondeu-lhe, na volta do correio.
"Gostei muito do teu poema cheio de fúria dantesca."
Nesta carta, Sophia pede ao exilado poeta a sua colaboração para o Natal dos presos políticos, o que se concretizaria no envio de poemas autografados e escritos à mão.
A poesia não conhece o longe e reconhece-se pelas razões. E para estes dois poetas a razão era a liberdade!
sena
A Liberdade havia de reconhecê-lo e condecorá-lo. Muito tarde! Dois dias antes da sua morte.
Esperemos que a Língua Portuguesa o faça eternamente!
Imagem: Sena, na capa do livro das cartas.

6 comentários:

chuvamiudinha disse...

Dois dias antes da sua morte! Para alguns, o reconhecimento só chega depois da morte, para outros, nunca. So sad! Beijinhos

125_azul disse...

Ainda bem que tu nunca te esqueces! Hoje é dia de Finados no Brasil, com direito ao feriado que tivemos ontem; com a escalada recente de violência, bem temos todos o que chorar...

IO disse...

Grande Jorge!! - beijo, uma absolutamente fã.

Pitucha disse...

Exilado como tantos outros, por convicção, por opção, por ter que ser.
Beijos

molin disse...

Vim agradecer-te a visita, querida Tia. Mas não conseguiste surpreender-me com o Jorge de Sena. Só mesmo tu para te lembrares de alguém como ele.

Não conheço muito bem a sua obra poética (não sou grande adepto da poesia) mas reconheço-lhe enorme categoria na análise da obra de Pessoa, bem como nas suas traduções de inglês.

Bem lembrado. Curioso, já agora que penso nisso, a irmã da minha mãe, minha tia também, portanto - mas com letra pequena, não como Tu - que é professora de português/inglês do liceu, também é grande fã do Jorge de Sena (foi ela quem mo deu a conhecer). Porque será?

Madalena disse...

Querido Pedro, o teu regresso merece um post. E vai ser!
Mil beijinhos!
Chuvinha, pois é!
Azulinha, as efemérides são o tema "geral" do blog! Não por mérito meu, mas por mérito dos acontecimentos e por culpa deste Pedro que voltou agora. Foi ele que me o "básico" dos blogs. Estou-lhe muito grata, pois isto trouxe "mais-valias" à minha vida.
Acredita!
A Pitucha e a Chuinga são testemunhas de que estou a dizer a verdade. Ganhei novos afectos. Beijinhos também às mamãs, meninas Pitucha e Chuinga!
Mil beijinhos para todos!