segunda-feira, 27 de novembro de 2006

O post(e) virado pró mar....

Para além de um Plano Nacional de Leitura, precisa-se urgentemente de um Plano Nacional de Cultura, penso eu "de que" ...
post sobre o mar
Mais um post(e) para a colecção. Mais um remendo na minha ausência de chorar um poeta que eu sei que é, mas de quem desconheço a quase totalidade dos versos. E dos quadros, que o poeta e o pintor coexistem no mesmo corpo que envelheceu e morreu, ontem, de madrugada!
Mas chegam até mim agora muitos versos de Cesariny. Vou preparar-me para aprender o homem do meu tempo.

PASTELARIA
Afinal o que importa não é a literatura
nem a crítica de arte nem a câmara escura

Afinal o que importa não é bem o negócio
nem o ter dinheiro ao lado de ter horas de ócio

Afinal o que importa não é ser novo e galante
- ele há tanta maneira de compor uma estante

Afinal o que importa é não ter medo: fechar os
olhos frente ao precipício
e cair verticalmente no vício

Não é verdade rapaz? E amanhã há bola
antes de haver cinema madame blanche e parola

Que afinal o que importa não é haver gente com fome
porque assim como assim ainda há muita gente que come

Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!

Que afinal o que importa é pôr ao alto a gola do peludo
à saída da pastelaria, e lá fora – ah, lá fora! – rir de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra

Nobilíssima Visão (1945-1946), in burlescas, teóricas e sentimentais (1972)

(Parece-me andar por aqui um dos heterónimos de Pessoa! Ou talvez dois, bem misturados e amassados num mesmo querer entender a realidade, mesmo a mais comezinha!)
aprender o mar
Preciso é de entremear o mar com Cesariny ou outro poeta qualquer.Também quero ler o mar! Quero aprender com o mar como é que se reencontra esta calma solene e azul, depois de ter sido ferozmente fustigado por ventos irracionais?!
Fotos: Algarve, domingo de manhã.

5 comentários:

DE PROPOSITO disse...

Passei por aqui. E olhei a fotografia, e olhei o mar através da fotografia.
Fica bem.
Manuel

Pitucha disse...

Bonito post! Fotografias e texto num equlíbrio como só a Tia Madalena sabe!
:-)
Beijos

Teresa disse...

Cesariny. Também desconheço quase totalmente a vida e a obra. É imperdiável. Gostei do teu post e aguçou-me a curiosidade. infelizmente o meu tempo está limitado. Precisava fechar para obras, antes que seja tarde.

casadaponte disse...

Madalena...que post tão bonito!
É pena que estes "postes" que referes, não entrem mais vezes nas nossas casas. Assim, não iríamos desconhecer o que é nosso...também não conheço praticamente nada de Cesariny, pensava-o muito mais ligado à pintura. Mas já tive oportunidade ,agora, de ler alguma poesia dele, e vou estar atenta. Sei que a RTP1 apresentou um programa em sua homenagem -ontem (hoje de madrugada), mas a horas que não é fácil estar-se acordado.
Cada vez encontro mais motivos para vir a este cantinho...
Beijinhos e também Parabéns pelas fotografias... têm Mar!

Carraça disse...

Uma bonita homenagem a Cesariny!
E quanto ao Plano Nacional da Cultura, não podia concordar mais!
Beijinhos