domingo, 20 de maio de 2007

Sobre o tempo

E outros sonhos.
Einstein deve ter sonhado. Tal como dizia T.E. Lawrence: "Todos os homens sonham."
Einstein é um homem. Einstein sonha. Silogismo, se a memória da Filosofia que aprendi no Liceu não me trai.
Alan Lightman imaginou os sonhos do génio. Organizou-os cronologicamente e datou-os.
A 20 de Maio de 1905, Einstein sonhou com homens sem memória que, no fim do dia, à hora de regressarem a casa, abriam o livrinho onde tinham anotado a morada.
Este livro é o Livro da Vida que vai espessando cada vez mais tornando-se insuportável de peso da própria vida. Há então que optar e viver cada dia, como se o Livro da Vida não existisse.
"Também há os que pura e simplesmente deixaram de ler. São os que abandonaram o passado, os que decidiram que pouco lhes importa se ontem eram ricos ou pobres, cultos ou ignorantes, orgulhosos ou humildes, apaixonados ou de corações vazios- Tal como pouco lhes importa saber como é que a brisa sopra por entre os seus cabelos. São pessoas que nos olham directamente nos olhos e têm firme o aperto de mão. São pessoas que caminham com a agilidade da juventude. Que aprenderam a viver num mundo sem memória."

1 comentário:

Nabais disse...

Cara Madalena Santos,
Acho curioso o blog, sobretudo a memória que invoca do professor Nemésio. Sou jornalista e estou a fazer um trabalho que também inclui a figura do professor. Tem algum contacto para que possamos trocar umas ideias sobre ele?
Ricardo Nabais (ricardo.nabais@sol.pt)