quarta-feira, 23 de maio de 2007

A tristeza que veio daqui

Um dos mais difíceis combates é o combate à tristeza. Há que usar muitas armas e conhecer bem o inimigo. É fundamental saber que ataca ao entardecer, quer dos dias, quer da vida.
Não se pode olhar a gastos: todas as ajudas são preciosas, todos os sorrisos contam.
É preciso erradicar a tristeza como se tenta erradicar a raiva.
Convém saber que o mar ajuda a dissolver certos estados de alma que podem ser aliados da tristeza e há cantigas que actuam como soporífero.
Uma conversa de alma com alguém que ande perto é normalmente muito eficaz: destrói totalmente o inimigo.
Abaixo a tristeza! Viva a Azulita!
sad people

2 comentários:

125_azul disse...

Ah, que querida, absolutamente querida, Madalena.Tenho o meu cocuana a sofrer. Muito. e ele não merecia mais. Até porque nunca se queixou e sempre resolveu tudo como um herói. Agora começaa pensar que é tempo para hambanine...
Beijinhos e muito, muito grata.

casadaponte disse...

Que se ultrapasse essa tristeza é também o meu desejo.
Deve ser dos sentimentos mais inexplicáveis, pelo menos em determinadas situações. E como já alguém disse"...tristeza não tem fim, Felicidade sim.
Beijinhos Madalena
M.Dores