segunda-feira, 4 de junho de 2007

Dia dos anos


Andas por aqui, não é papá?
Os teus quadros, a memória das tuas ideias, as tuas frases "célebres"...
Até a tua gargalhada irreverente ecoa ainda nos nossos ouvidos.
É por isso que não se morre assim, de um dia para o outro.
Se calhar nem se morre nunca...

7 comentários:

Laura Lara disse...

É mesmo, Madalena, há pessoas que nunca morrem.
Beijinhos

casadaponte disse...

"Enquanto houver quem se lembre"...há pessoas que não morrem!
Ainda bem que há este espaço para o partilhares connosco.
Que quadro lindo!
Beijinhos, Madalena

luis manuel disse...

A irreverência... de novo. Talvez os Gémeos sejam mesmo assim, por natureza. E todos sabemos o valor que isso tem.
Mas, a memória é mais vasta. Os sinais são muito vivos e fortes.
É muito significativa a última frase que escreves Madalena.
Um abraço

espumante disse...

Beijinho amigo para ti

Pitucha disse...

Através de ti, viverá!
Beijos grandes

IO disse...

Enquanto te lembrares dessa irreverente gargalhada, não há hipótese de ele fugir, esse pai que nos deu a Madalena e deixou as cores com que nos premeias.

Beijo grande, IO.

molin disse...

Ainda bem que há sempre quem faça "Uma ponte para a eternidade".

Beijinhos doces