sexta-feira, 27 de julho de 2007

Segundo dia de férias...

Não fiz nada, nada que valha a pena ser mencionado.
Gastei o dia e, pior do que isso, gastei a vida.
Nos outros dias também gasto a vida, mas não se nota tanto. Hoje, gastei-a, desperdicei-a.
Quis sentir o mar, mas os meus sentidos hoje não funcionaram.
Penso que em parte este desfuncionamento se deveu a uma insónia e a insónia se deveu a uma série que dá, a altas horas, no primeiro canal: a Anatomia de Grey. Prefiro o Doctor House. Tanto uma série como a outra são, penso eu, teses do tratamento das emoções das pessoas que lidam com os limites da vida. Entre a brutalidade de House e a fina sensibilidade de Izzy quantos comportamentos possíveis há, no palco da tragédia, quando a vida e a morte se digladiam impiedosamente, inesteticamente?Vou passar a ver o Jay Leno. Não tem piada nenhuma, mas, pelo menos, não me tira o sono.
Agora sentei-me aqui a gastar o resto das horas deste dia.
Ao lado do computador, está há vários dias, uma revista antiga resgatada do lixo das arrumações de Verão. Pelo preço, deve ser uma antiguidade. Cinco escudos. Façam a conversão para Euros e espantem-se.
Folheio.
Letras. Letras de cantigas. Letras de cantigas são poemas.
Algumas fazem mais sentido agora. Agora que já não há escudos. Já não nada a este preço. Há Euros e a vida está pela hora da morte. Caríssima, dizem! Caríssima, digo. Já não há revistas a menos de dois Euros e meio, quanto mais a dois cêntimos e qualquer coisa.
"We'll grow oold, we'll take care of each other."
Espero bem que sim.
Mas o pior ainda está para vir: anúncios.
Cinquenta pessoas, homens, mulheres, rapazes, raparigas, pedem correspondentes.
Querem trocar ideias sobre uns assuntos. Alguns exigem fotografia na primeira carta. Malandrice!!!! Aqui há marosca com certeza. O que ele quer é uma namorada e não tem jeito ou maneira de arranjar.
(Estou-me a sentir António Barreto a fazer o retrato social.)
Uns querem trocar amizades. Trocar? O que é que dão em troca?
Marosca também!!!!
O Vitoriano, que morava na Moita, nem diz ao que vem. Só diz quem é, onde mora, a idade e ponto final. Adivinha-se: quer namorar... Há marosca. Ah, pois há!
E finalmente um anúncio de uma coisa que se vende: um gira-discos, em bom estado, por três mil e quinhentos escudos.
Ainda tenho alguns minutos deste segundo dia de férias.Estou quase a mergulhar no terceiro dia!

1 comentário:

Laura Lara disse...

Estás no tempo do descanso e do lazer. Que bom! Esquecemo-nos tantas vezes que não é só o trabalho que importa.
Continua a gozar as férias e vai deixando textos destes que tanto gosto de ler.
Beijinhos