sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Porreiro, pá!

Disse Sócrates (Ai que ainda se me salta aí a GNR!) a Durão Barroso!
Mas porreiro , porreiro, era os vinte e sete olharem bem para o património que envolve o Tratado de Lisboa: ele é rio! Ele é Ponte Vasco da Gama! Ele é Estação do Oriente...Porreiro, pá!
Do Público.

5 comentários:

Ana de Sousa disse...

É mesmo "porreiro", pá! Com tão famosa expresssão do liguajar comum,Sócrates aproxima-se do povo que,deve achar ele,o "grama bués". Oh, sorte! Bem diz a anedota que os seguidores são só cretinos!Mas estamos a fazer um brilharete para a Europa, não é? As televisões francesa, inglesa, alemã não percebem português! Por este andar, até podemos dizer que temos um político em Portugal, tão brilhante como o Georges B.Não o quererão, a este, lá na casinha branca?

Pitucha disse...

Que políticos infelizes que nós temos!
Beijos

IO disse...

Porreiro, são as fronteiras abertas, e o resto é o que os eleitores fizeram ao elegê-los, a um e a outro, para primeiros (para cá da raia).
uma que ia a passar e deixa um beijo à Mad'.

Luisa Hingá disse...

E eu também deixo beijinhos.

Anónimo disse...

querida Nini, que bom ver-te por aqui. Pitucha, Chuinguita e Luh, beijinhos e obrigada pela visita!
madalena