quarta-feira, 6 de agosto de 2008

O efeito de Sophia

"A nossa vida é como um vestido que não cresceu connosco."
Este é o último verso do poema "No Quarto" da (nossa) Sophia, publicado pela Caminho, no Livro "Geografia".
Pus-me a pensar: na vida; nos vestidos; e em crescer.
Para além da dimensão "tempo", que se mede objectivamente em anos, meses, minutos, a Vida é mesmo um mistério para mim. Em termos da dimensão "espaço", a Vida situa-se normalmente no Planeta Terra, apesar de alguns já terem tido experiências fora da bolinha azul. Tomamos o tempo e o espaço e tentamos algo que valha a pena. Só respirar, não chega! Só comer, também não! Só dormir... ainda menos. Então o que é Viver?
Quanto ao vestido: recordo que eu ainda sou do tempo APV (Antes do Pronto a Vestir).
Os meus vestidos eram rigorosamente planeados em função da necessidade de andar bem vestidinha para não deixar envergonhada a minha família. Procurava-se o tecido, o modelo, comprava-se tudo a metro no John Orr ou na Casa Coimbra, mais os aviamentos, tirava-se as medidas. Depois vinham as provas e finalmente o vestido chegava a casa, saído das mãos de uma talentosa costureira, com requintes de obra de arte. E era!
Só que esses vestidos não cresceram comigo e na Era PV já nem me lembro bem deles, a não ser dos cuidados mil que me inspiravam, porque um rasgão era um acidente grave para um vestido de modista!
(Deve ser por isso que eu hoje só me visto em Zaras e outras que tais, onde há mil vestidos iguais. Vestido único? Não obrigada!)
Mas a minha vida tinha então o tamanho desses vestidos. E o valor também. Só que eu não sabia.
Quanto ao crescer? Será isso viver?Depois tinha de ir ao fotógrafo, para hoje recordar!

3 comentários:

Luisa Hingá disse...

Eu não me visto na Zara por causa do Size"...grrr, e vingo-me no C&A e parecidos.
Magrelas a menina...

CMP disse...

É impressionante o impacto que as tuas palavras têm. Já o disse e torno a dizer. As vezes que forem precisas. Adorei a fotografia. . )

IO disse...

Oh, Mad', ando com tempo zero para a blogo', sobretudo para comentar (e o computador lá de casa está cada vez mais difícil....), mas ler, já tinha lido e tb sou do tempo em que a mãe comprava a 'Burda' e eu a minha irmã vestíamos de igual.
Um beijo,
uma que adorou este 'post'