quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A carta

Querida Célia,
Espero que esta te vá encontrar de boa saúde, junto dos teus.
Era assim que começavam as cartas no tempo das cartas e no tempo em que eu tricotava gorros e camisolas, o que te admirou muito.
Minha querida Célia, eu até me envergonho de expor aqui, nesta missiva, os meus dotes de "modas e bordados" que, lamentavelmente, fui perdendo ao longo dos anos.
Pois eu fazia camisolas e gorros para a família toda. Chegámos a ter camisolas iguais: o Jorge, o Diogo e eu. Para o Rafael fiz um casaco muito grosso, por onde não entrava frio nenhum, com capuz e botões de madeira. Fazia cobertas para os berços e bordava "Asterixes" nos cobertores das caminhas...
Mas antes disso, frequentei (lê bem), frequentei um curso de bordados à máquina. Mas estes bordados não eram definitivamente a minha especialidade. Não cheguei a fazer nenhuma obra que se visse.
Eu sempre preferi o tricô e quando me sentava a ver um filme levava comigo o trabalho que tinha em mãos.
Uma das muitas recordações que tenho do período revolucionário está relacionada com o tricô.
Enquanto tentávamos ir de Odivelas para a Costa da Caparica, passámos por tantas "barricadas", que tricotei, pelo menos, um par de botas, por sinal as que o Diogo "vestiu" no dia em que nasceu.
Era a Vida! Era a Moda!
Obrigada pela tua amizade. Para alguém tão antigo como eu, é uma honra contar com a amizade de pessoas como tu.
Um beijinho da tua amiga que nunca te esquece
Madalena

7 comentários:

Xekim disse...

Oh Madalena.
Deixe-me dar um beijinho no seu coração.
Li o post que você deixou na TeresaM, e fiquei muito contente (ainda mais) por me abrirem a vossa"porta". Custa-me explicar porque ando por aqui.
Mas Madalena, você sabe porquê. Visite meu blog. Vai gostar.

Aceite um beijinho meu.

Isabel Preto disse...

Amizades assim, nunca se esquecem! E tu és daquelas amigas que vale a pena cativar...pena já não termos tanto tempo para tricotar...fizeste-me lembrar da minha mãe! O primeiro vestido da Sara foi ela que o fez, em lã...tinha um gorrinho igual e saiu assim do hospital:)
Beijos

CMP disse...

Querida formiguinha obrigada por td e obrigada eu. Um abraço mt forte.
Acredita q nunca imaginaria q eras tão prendada para a arte de tricotar. N sei, se calhar é de pensar q alguém tão sofisticado nas novas tecnologias não " perderia" tempo a tricotar. : ) Coisa de chavalita (qm me dera, mas acho q não, n me dera)
Obrigada por tão privilegiado post e por tão honrada amizade, por alguma razão fui parar ao Montijo e tu foste uma delas de certeza! Gosto mt mt de ti!

Natália disse...

Madalena
venho dar-lhe um beijinho e desejar um óptimo fim de semana

TeresaM disse...

A minha amiga Madalena, tem textos muito bonitos! E eu esqueço-me sempre que ela tem um (não um, muitos) blogues onde escreve coisas bonitas.
Vim até aqui e...voilá! Um texto a lembrar-nos tempos idos, tempos memoráveis, os da nossa juventude!
Tricotar...coisas dos tempos revolucionários, mesmo!
Beijinhos

Natália disse...

Madalena
Só por si é que eu faço estas figuras.
Quando puder vá ao meu blog,e veja o que eu obriguei o meu marido andar a fazer a estas horas.
beijinhos

Xekim disse...

Olá Madalena.

O Xekim tá a passar por aqui para lhe desejar um bom fim de semana.


Beijinhos.