quinta-feira, 23 de setembro de 2010

...esqueceste-te do texto...

Não, Jorge, não me esqueci do texto!
Eu sei que o poeta maior legitimou o ridículo das cartas de amor. Mas a nossa geração entranhou a noção do ridículo e não se expõe com facilidade. Pelo menos em palavras. Na primeira declaração de amor ficava esgotado o risco de ser gozado. Não era fácil dizer "adoro-te" e muito menos "amo-te". Je t'aime e I love you ficavam tão bem na tela ou no vinil! Mas, quando a realidade batia à porta, não íamos além da puerilidade de "Eu gosto muito de ti!". Era o pudor das palavras no seu esplendor.
Não me esqueci do texto! E se tivesse optado pelo texto, teria referido, em primeiro lugar, a tua honestidade e, em segundo lugar, a irreverência que cria os seus engulhos, mas que acaba por ser também apreciada por muitos.
Se tivesse optado pelo texto, ter-me-ia referido ao teu papel de pai. Aliás, basta ver a ternura com que os teus filhos te tratam e como, naturalmente, a tua relação com eles evoluiu para o que é hoje, hoje que eles são gente crescida e com responsabilidades.
Também és um sogro "à maneira"! Acho que posso afirmar, sem risco de contestação.
Mas eu só te conheço há quarenta anos. E só me "dou" contigo há trinta e nove. Pois é: levei um ano a adaptar-me à tua irreverência e, durante esse ano, fiz campanha contra ti junto das minhas amigas. Dizem que quem desdenha quer comprar. Mas eu não queria. Caí da escada e magoei-me. Para não ir ao hospital, recorremos a ti, porque ali eras praticamente doutor. Quarto ano de Medicina já dava para confiar!!!
O resto da tua vida, pertence aos teus pais, pertence-te só a ti.
Um dia, numa cerimónia pública (com uma ministra e tudo!) agradeceste aos teus pais terem-te ensinado sempre o caminho da verdade e nunca o do interesse. Como eles mereceram esta expressão de gratidão, este certificado de "Os melhores Pais do Mundo" que lhes entregaste!
Se eu tivesse optado pelo texto, não iria dizer "eu amo você" porque tem direitos de autor!!!

12 comentários:

Jorge disse...

É por escreveres tão bem conforme prova junta, que já publicaste quatro livros de que toda a gente muito gosta.
Com este texto, vais levar algumas das tuas amigas, a terem uma lágrima no canto do olho, pois connosco partilharam esse tempo...que já não volta!
Agora há outros interesses e outra maneira de estar mas, os sentimentos continuam e a vida vai seguindo paulatinamente o seu caminho.
Um beijinho grande para ti, enquanto pudermos continuar por mais quarenta anos!

Natália disse...

Que lindoooo

Jorge tem razão!
Eu sou uma das amigas que está bastante emocionada e com a lagrimita no olho perante este texto tão bonito,cheio de Amor e carinho.

Madalena demoraste com o texto mas valeu a pena...lindo...lindo.

Jorge e Madalena um beijinho muito grande para os dois e muitas felicidades.
Vocês merecem.

Jorge pessoalmente conheço-o á pouco tempo,mas sabe que aqui em casa já há muitos anos que se fala de si.
Um HOMEM bom e um excelente profissional.
Sabe que tem gente que nunca o esquece,pelo excelente trabalho que fez e pelo seu carinho.

Geninha disse...

Madalena, que linda homenagem, fiquei sem palavras...
Desejo sim, que continuem asim por mais 40, 50, anos.

Beijinhos

Gatapininha disse...

hehehe
Que bela declaração de amor:)

jokas e tudo de bom

Lina Querubim disse...

Que lindo!!!
E com direito a resposta de AMOR venham mais quarenta...muitos mais!!!
Beijinhos

O Baú do Xekim disse...

Olá amiga.

Bom resto de Quinta e feliz Sexta.

Beijinhos.

May Alek disse...

O Jorge tem razão. É um texto lindo e emocionante.
Desejo aos dois muitas felicidades, por muito tempo.
Um beijinho carinhoso.

eduardo disse...

dEstarei fora do texto (ou talvez não).

Fora dos blogues estou com certeza espaçado em demasiado tempo (coisas minhas), e é com imensa alegria que vejo as melhorias que fazes no visual do teu cantinho.

E foi precisamente ao teu cantinho que vim ter porque faz tempo que não dou uma palavra, e atenção, na amizade que se criou.

Portanto, aqui estou eu (ainda vivinho da costa) a ler o que tens escrito. Adoro e muito aprecio. Estás solta no aparo, e liberta nas memórias que nos trazes para quem há tempos queria desistir de partilhar as coisas. Como vês, não fazia sentido privar esta rapaziada que te acompanha de abdicar de tudo o que tens, e podes, comunicar pela componente virtual.

Em frente Madalena! Cá virei de quando em vez saber de outras novas. Fica bem.

Um beijinho de carinho pela amizade que criámos ao longo destes anos.

CMP disse...

Anseio para que tantos anos depois eu consiga demonstrar tanto amor pelo meu marido... Beijinhos e parabéns!

Janine disse...

Querida Madalena,
Já tinha saudades de vir a este cantinho maravilhoso...

E não há palavras para tamanho Amor, a soberba declaração de amor, com direito a resposta... Tão linda! Eu adoro estas "coisas", acho que, por vezes, se incute o medo de manifestar afecto! Porquê?

E ora aqui vai o meu: já gosto muito de si, Madalena! Um beijinho enorme!!! Ah, é verdade, não me esqueci de ouvir a entrevista na rádio...e também não esqueci do texto, do Flamingo! Já o comprei, assim que o ler digo! Mas o Zé já voa aqui por casa. Beijinho doce.

O Baú do Xekim disse...

Olá AMIGA.

Uma feliz Quinta pra si e família.

Beijinhos.

Graça Pereira disse...

É um texto emocionante e tudo quanto sai do coração, eu acredito, é límpido e maravilhoso . Se o Jorge (ele que me perdoe esta sem-cerimónia) respondeu, é porque pensa da mesma maneira!
Gente como vós...deve durar até aos cem anos...Beijo carinhoso.
Graça