domingo, 22 de abril de 2012

Avó Madalena

Nós, cá dentro, temos uma espécie de alguidar, peça de cozinha indispensável no tempo das nossas avós. Eram de barro e só de olhar faziam crescer água na boca. Ali se batiam os bolos ou outras massas. Ali se juntvam as batatas aos palitos ou às rodelas, antes de passarem à frigideira cheia de azeite a ferver... Dentro de mim, há um desses alguidares. Junto desse alguidar cheio de memórias, afectos e saudades está a minha Avó Madalena. A minha "imensa" avó! Era imensamente grande e os olhos eram imensamente verdes. O amor por nós era imenso e cada um de nós se sentia alvo de especial preferência. E nós mergulhávamos naquele imenso colo com a certeza de estarmos seguras longe de todos os males do mundo. Tudo, naquela casa, era preparado pela minha avó Madalena! À tarde, depois do almoço, sentava-se com a minha tia, num quarto pequenino, onde estava instalado tudo o que dizia respeito à costura. Cosia-se, fazia-se renda e bordava-se. Nós, os mais novos, fazíamos piruetas em cima da cama de ferro que devia estar lá mesmo para isso. Mais tarde, chegavam as minhas outras tias e a conversa seguia ao ritmo do crochet e das meias a "passajar". Riam muito, especialmente a minha avó e a minha tia "pequenina". A vida era simples. Ou talvez não fosse. Mas, pelo menos, parecia! E a minha avó Madalena estava como queria: com os seus sob controlo! A vida foi passando e o momento de eu me tornar Avó Madalena foi-se aproximando. Tal como se aproximaram as memórias e o desejo de ser mesmo uma Avó Madalena, tão avó como aquela que eu tive!

3 comentários:

Luisa Hingá disse...

Vais ser a melhor avó do mundo. Como vai a bebé e familia?
Bjs

Luisa Hingá disse...

Vais ser a melhor avó do mundo. Como vai a bebé e familia?
Bjs

Geninha disse...

Madalena também tenho a certeza que vais a Ser a melhor das melhores avo Madalena.
Um beijinho grande para ti e para a bebe.