domingo, 1 de abril de 2012

Parabéns, filho!

Parabéns, filho!
Há 37 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, nasceu o Diogo!
Não me canso de citar Mia Couto: um filho é que dá à luz uma mãe!
Revejo, com muita frequência, as fotos dos meus filhos. Gosto de recordar os meninos que foram. Todas as recordações da infância dos meus filhos são boas, excepto as que têm a ver com as doenças inevitáveis das crianças, com a aflição que se apodera de nós, mães, pais, avós. A infância dos meus filhos foi a minha própria infância, sobretudo no que diz respeito à fantasia. Quando se cresce, adquire-se essa competência de usar a fantasia com equilíbrio e responsabilidade. Pelo menos eu senti que isso me estava a acontecer: sem castigos nem prémios, vivi esta segunda oportunidade de me passear pelas florestas encantadas e de encontrar sempre a coragem vestida de personagem de um qualquer conto de encantar...
Voltando ao dia de hoje!Esta fotografia tem 36 anos, de acordo com o registo escrito que a acompanha.
A festinha do primeiro aniversário do Diogo tinha acabado e os amigos, os grandes e os pequenos, tinham já debandado.
O dia tinha sido bem vivido e isso nota-se bem! Que todos os teus dias de anos sejam sempre bem vividos, Diogo!

4 comentários:

Graça Pereira disse...

Gente de Abril...como eu vos adoro!
Uma santa e feliz Páscoa para todos.
beijocas.
Graça

Janine disse...

Querida Madalena... Muitos Parabéns!!!! Pelo filho, pela neta... E por todos os afectos que tem para dar e para criar e recriar com OS importantes, os Verdadeiramente importantes...
Tenho a certeza de que não precisará de nenhum manual de instruções para ser uma boa avó, assim como não precisou de nenhum para ser uma boa mãe...
Com toda a ternura e todo o Amor, com toda a doçura que tem para dar... basta ser...
Um beijinho enorme... Saudades.

Janine disse...

Querida Madalena... Muitos Parabéns!!!! Pelo filho, pela neta... E por todos os afectos que tem para dar e para criar e recriar com OS importantes, os Verdadeiramente importantes...
Tenho a certeza de que não precisará de nenhum manual de instruções para ser uma boa avó, assim como não precisou de nenhum para ser uma boa mãe...
Com toda a ternura e todo o Amor, com toda a doçura que tem para dar... basta ser...
Um beijinho enorme... Saudades.

Susana Filipe disse...

Madalena...
Como diz Saramago "Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem...".
A minha experiencia como mãe reforça esta magnífica definição.
Já ser Avó é uma experiencia que ainda não tenho, mas acredito que é outro nível de amor…um amor sem obrigações, sem tempos marcados, sem pressas…
Por esses afetos maravilhosos que soube construir, vale a pena recordar, vale a pena amar, vale a pena dar tudo e tudo receber…

Beijo grande e parabéns pela Maternidade e pela “Avózidade”.