quarta-feira, 8 de dezembro de 2004

John Lennon

No princípio era só yé-yé, depois veio o pensamento novo embalado na música nova.
De todos, John foi sem dúvida o que deu mais que falar e muito que pensar.
Foi assassinado a 8 de Dezembro de 1980, por um homem estranho, que alegava razões estranhas, em circunstâncias estranhas.

6 comentários:

eduardo disse...

Bom dia, Madalena.
Parece que foi ontem e já lá vai quase metade da minha vida. De todos (os Beatles), Lennon foi o que "nos" marcou mais. Ainda o oiço sempre com enorme prazer.

Águas de Março disse...

Sempre actual, sempre um prazer.
Bonita ideia, a de lhe prestares tributo.
Beijinho,
Ana Maria

molin disse...

Eu também gosto de Lennon. Às vezes pergunto-me o que teria sido do mundo da música se ele não tivesse morrido. Era um compositor de eleição e um letrista magnífico.
Na minha memória vai ficar para sempre o seu álbum "Double Fantasy" com temas como "Woman", "Beautiful Boy" e o meu tema preferido "(Just Like) Starting Over"!

titas disse...

sempre em cima do acontecimento.
Quando teremos

“Yes, 'n' how many years can some people exist
Before they're allowed to be free?”

do nosso Bob Dylan?

lique disse...

Que bom teres-te lembrado dele. Extraordinário enquanto "criador" nos Beatles, conseguiu também uma belíssima carreira a solo. Há temas de que nunca nos esqueceremos. Beijinhos

virna disse...

O que mais causou espanto foi que um pacifista, um "sonhador" como John Lennon tenha morrido tão brutalmente.
Li o seu comentário no blog. Aquele poema do Paul Celan é muito denso e bonito, é para refletir mesmo.
Um beijo,
Virna.