quinta-feira, 17 de março de 2005

Carros há muitos!


Não tenho nenhuma tendência para apreciar automóveis.
Não porque ache que isso é coisa de homens, mas porque aquilo que eu espero de uma viatura é que me leve, com segurança máxima, a qualquer destino.
Também não morro pela condução, nem tenho a pretensão de ser boa condutora, tão boa como os homens ou melhor do que os homens: a velha questão machista/feminista que não me diz mesmo nada, em termos de automóveis e condução.
Mas, apesar disso, sei que Porsche é nome de carro e tem que se lhe diga.
Mas não sabia tudo, afinal, e hoje encontrei no sítio da efemérides mais alguma informação interessante, já que se assinala mais um aniversário (quinquagésimo-sexto)da apresentação do primeiro carro com este nome, no Salão do Automóvel, na Suiça (1949).
Mais se diz: o Sr Porsche e o seu filho trabalharam nesta "máquina" após o cumprimento de uma pena de prisão, por terem colaborado com o regime de Hitler, ao serviço da Mercedes e da Volkswagen.
Não sei já se é bom lembrar, se é bom esquecer!
O meu primeiro carro era igual a este:

Para abrir as portas e ligar a ignição, servia qualquer chave pequena, tipo chave da caixa do correio...
Às vezes andava. Às vezes parava.
Tinha dias. Até porque também já tinha tido muitos donos e muitas donas.
Mas cumpriu a sua missão como qualquer outro carro!

3 comentários:

chuinga disse...

Eu, se guiasse, neste momento, comprava o 'Crysler'. Faz-me lembrar os carros com que, no pós 2ª guerra, as inglesas levavam os carros à escola.
Beijo,
IO

emília disse...

Olá Madalena:
Não sei o que aconteceu há dias: coloquei um comentário na "Semana explicada às crianças" e... puf!!!! desapareceu.
Quanto ao Porsche não tenho. Mesmo assim gosto de conduzir o meu carrito, gosto mesmo muito de conduzir e o que aprecio num automóvel e a fiabilidade (se posso usar esta palavra para estas maquinetas!)
Um abraço,
Emília.

chuinga disse...

Não era 'carros' que elas levavam, era filhos..... _ beijo envergonhado, IO