terça-feira, 5 de abril de 2005

Fábula de vinil e mais qualquer coisita


Imagem e informação sem bolor, daqui.
Lá vai mais uma arrumação de baú de memórias de infância...
Este disco pertence a um grupo de singles de vinil, 45 rotações por minuto (até pareço um médico a medir um pulso ou um coração!), que tocava vezes sem conta num móvel gira discos, que é do tamanho de um aparador e ainda está a enfeitar a sala da minha mãe. Chamava-se então "pick-up"!
Começava assim:
« São Pedro manda avisar
aos bichos deste sertão:
há grande festa no céu
na noite de São João.
Não deve faltar à mesma
nenhum bicho voador:
do mosquito à borboleta,
do colibri ao condor!
E para bicho sem asa
não fazer vestido à toa,
manda frisar que a festança
é só pra bicho que voa! »
O sapo não estava pois no rol dos bichos convidados o que não o impediu de sonhar com uma aparição radiosa.
Tão simples: ir à boleia! Boleia de um instrumento sonoro.
Claro que o destino do bicho era cair na terra e talvez morrer ou talvez magoar-se muito...
O que aconteceu é que, daí em diante, o sapo ficou com ar esborrachado e feio.
Ele que já tinha sido belo e redondinho.
A ambição estragou não só o sapo. Todos sapos que nasceram daí para a frente ficaram a sofrer dessa horrível deformidade física que a inveja provoca nos sapos.
(se virem alguém com ar de sapo, pode sofrer de inveja!)
Ter asas e voar, sim! Não ter asas é para não voar!
Esta história não ilustra as regras da biologia, mas as regras da natureza humana talvez!
Quando ouvia esta história, vezes sem conta, não conseguia era imaginar outro sítio para o sapo ter caído, senão no quintal da minha avó! E de toda a história, é o que mais nitidamente me recordo.
A terra era o quintal da minha avó. Logo o sapo só se podia ter esboarrachado algures por lá!
Um dia hei-de lá voltar, para matar estas saudades esborrachadas que andam a voar cá dentro.
Vamos, priminha?!

4 comentários:

Anónimo disse...

Lindo,Madalena!
O problema é quando cortam as asas a quem as tem...
ana

Karla disse...

Olá :) Vou desde já confessar que ainda não li o blog, mas alguém capaz de chamar Chora-Que-Logo-Bebes a um blog SÓ PODE ter coisas interessantes para dizer. Adoro o livro e prometo um destes dias fazer uma visita com mais tempo. Beijinhos!

Emilia disse...

Madalena, deixei mensagem no post de 3 de Abril.
Um abraço,
Emília.

Cinda disse...

Mais um post delicioso, Madalena! Ainda estou com os olhinhos a rir :) Não imaginas o bem que me faz vir aqui a tua casa. Beijocas muitas.