sábado, 6 de agosto de 2005

O dia mais triste dos homens

Passaram sessenta anos sobre esse dia. O dia 6 de Agosto.
Não é possível acreditar que uma nação tenha decidido atentar contra a vida de tantos milhares de pessoas, milhares de inocentes, entre eles os mais inocentes, os velhos e as crianças.
Foi um atentado contra o futuro. Por muitos balões de paz que se lancem, por muito que se lamente, nem de lição este dia serve. Uma lição contém sempre algo de bom. Neste caso, toda esta página da História é feita de destruição e morte.
Nem sessenta anos depois a Humanidade pode dobrar o jornal aliviada, como escrevia Torga, no dia seguinte no seu Diário.

2 comentários:

C.S.A. disse...

Estamos em perfeita sintonia, Madalena.
Um beijo.

Cinda disse...

Querida Madalena, como o Homem nunca aprende, continuamos a "não poder dobrar o jornal" aliviados. Já pegamos nele com um olhar apreensivo. Beijinho grande, amiga.