terça-feira, 23 de maio de 2006

Perfil

expo o6
A Expo fez anos ontem, mas, como acontece às vezes na vida real, não cheguei a tempo.
Ai como eu sinto que os poetas me entendem, quando juntam às suas funções do espírito, ou do intelecto, ou seja lá do que for, dizia, quando lhes juntam as funções do dia a dia comezinho e vulgar. Nem me refiro ao labor da profissão que esse, de tão nobre, não me fornece desculpas.
Estou a ser sincera, apesar de magoada. Todos sabem que os professores foram remetidos pela opinião pública, quase em geral, e por outras autoridades responsáveis, em particular, para uma espécie de purgatório.
E andam todos sofridos e doridos. Mas não metem dó! Felizmente! Por um lado, por causa dos próprios professores que enjeitam o dó e a pena. Por outro lado, há certamente do lado de quem vai infligindo as penas do purgatório, um cuidado e um receio que não lhes permite o arrojo de romperem o véu do respeito que as carteiras da escola lhes ensinaram, talvez para sempre!
A Expo trouxe-nos orgulho à pele. Trouxe-nos um orgulho que tardava.
Talvez tarde, mas não falte, como diz o ditado, a justa avaliação destes dias.
Como já disse hoje a alguém, citando outro poeta, por sinal professor, eu não quero apenas que os meus alunos sejam felizes. Eu quero sobretudo que eles aprendam a responsabilizar-se pela sua parte na construção de um bem-estar comum, fazendo os outros felizes.
Mas sinto, ou melhor, pressinto, que isto é obra mais ambiciosa do que a Expo!expo98
(Não se admirem com alguns silêncios. O trabalho aperta.)

10 comentários:

Anónimo disse...

Não desistas Madalena!O País precisa de professores como tu e a vossa missão é tão nobre!"Deixá-los falá-los..."
um grande beijinho
ana

dakidali disse...

Força Madalena, nunca desisto, sempre na linha da frente a defender aquilo em que acredito e que gosto de fazer. O trabalho aperta mas, "quem não equilibra o trabalho com o descanso perde o entusiasmo e não chega muito longe"(Paulo Coelho).
Beijinhos

IO disse...

Engraçado aqueles dois cornichos na 1ª foto... - beijo divertido, IO.

Fly disse...

Madalena, não podia concordar mais... Vou tomar a liberdade de criar um link no meu Blog para o seu.
Um beijo
Sandra

125_azul disse...

Assim como se conseguiu construir a Expo a tempo, também horas chegarão em que professores como tu farão alunos mais felizes e capazes de se responsabilizarem pelo bem estar comum. Vocês, os que se importam e fazem a diferença, são a única esperança deles, que quase não têm pais nem estado que lhes valham. Beijinho, trabalha feliz, que nós torcemos por ti.

ARTEMINORCA disse...

Como eu compreendo!!!
Também sou professora. Ainda por cima da área de humanidades, ainda por cima de filosofia... saberes estes tão fora de moda, politicamente! Sinto todos os dias a vida a pulsar nas aulas mas , ao mesmo tempo, a apatia de um tempo feito de telemóveis e roupas de marca... Tento resistir, tento mostrar o outro lado... Tão difícil... Bem mais que erguer a expo!
Gosto de ler os textos daqui e já te linkei no meu. Aparece por lá!Tenho dois blogs. um de textos, outro montra de um passatempo que tenho, mas um dá acesso ao outro!
Beijo Lu

papoilasaltitante disse...

Oh se é!!!!
Mas é preciso é não desistir!!!
Temos que continuar a insistir...
Bjs

Laura Lara disse...

Bom dia!

Alexandre disse...

Força Madalena! Eu também vou "vivendo" essas questões "por dentro" e compreendo perfeitamente a angústia que por vezes parece surgir...

Mas já dizia o outro:

"Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar"

Beijinhos!

Pitucha disse...

Um beijo tia Madalena.